Ivan Cezar Fochzato/Alencar Pereira

As perspectivas do segmento imobiliário em Palmas, sul do Paraná, têm sido mais animadoras, indicando que a crise que atingiu o setor já está mais fraca e que a retomada do crescimento está voltando. É o que manifestam os corretores de imóveis consultados pelo RBJ/Rádio Club AM.

Para cinco corretores, mesmo que o cenário ainda não seja o dos mais favoráveis pela contínua recessão do país, a movimentação entre o final do ano passado e início deste ano estão fazendo com que a confiança aumente gradativamente. Início das atividades estudantis, valorização do setor agrícola, retomada da economia e novos enquadramentos do Programa Minha Casa Minha Vida são fatores que estão animando o setor.

Relatam que neste momento o segmento de locações está extremamente aquecido e lentamente a procura para compra de imóveis está aumentando, bem diferente do movimento do ano passado. A procura e negociações envolvendo áreas para a produção agropecuária é outro ponto positivo para o setor neste ano.

Para Francisco Abílio de Oliveira, da Imobiliária Mont Rei, as locações estão influenciadas pelo início das atividades acadêmicas no Campus do Instituto Federal que atrai estudantes e professores de várias regiões. “O setor de vendas, que no ano passado estava praticamente zero, também está dando sinal de melhoras”, avaliou. Apontou que como localmente há uma expectativa muito boa em relação a safra agrícola desenvolvimento, isso reflete positivamente na perspectivas de novos negócios imobiliários.

Para o corretor, Francis Nogueira Giotto, da Giotto Imóveis, praticamente já não há mais oferta de imóveis para locação restando. Apontou que a maior procura é por apartamentos com dois quartos e garagem, com localização central ou de fácil acesso ao transporte coletivo. “A procura para compra de imóveis já está aumentando. Com as noticias de melhora no Programa Minha Casa Minha Vida gente tem esperança que este ano seja melhor que no ano passado”, avaliou.

O empresário, Irineu Camine, da Camine Imóveis, avalia que tanto para as locação quanto  a procura para compra de imóveis está muito grande neste ano. “A gente está muito satisfeito em nossa empresa”, disse.

Na avaliação do corretor, Moacir de França Pinto da Moacir Imóveis, 2016 foi um ano de estagnação do setor, ficando restrito ao movimento do Programa Minha Casa Minha Vida. “Para 2017, estou confiante, pois além da elevada procura pelas locações, há busca por áreas de terras para compra e arrendamento”, disse ele.

Por sua vez,  corretor, Claudio Spillman, levou em conta em sua projeção  as análises de especialistas e economistas que apontam um ano bastante favorável para o setor. Na sua avaliação o investimento em imóveis  ainda se apresenta como um dos melhores. Apontou que em Palmas há uma carência de unidades habitacionais para locação que consiga atender a demanda, o que tem travado o movimento nas negociações imobiliárias. Por outro lado, se a venda de imóveis urbanos ainda está tímida, as transações com áreas rurais, principalmente fazendas, a procura e negócios estão se concretizando. “ Na minha avaliação 2017 os negócios imobiliários vão começar a se normalizar e andar na direção certa”, considerou.