O nível de emprego no setor comercial do Sudoeste do Paraná melhorou em abril e fechou com saldo positivo de 0,19% em relação a março. Além disso, a folha de pagamento também cresceu  0,16% no período, conforme a Pesquisa Conjuntural pela Fecomércio/PR.

Apesar do avanço, o saldo  do emprego no período de janeiro a abril ainda apresenta acumulado negativo de 5.76%, em relação ao mesmo período de 2016.  A folha de pagamento é negativa em 0.65%.

A Assessoria Econômica da entidade analisou, em maio, que a combinação de queda da inflação e  contenção da taxa de juros Selic revelam expressivas mudanças no cenário. Para os especialistas, as variáveis demonstram  superação de taxas elevadas e abertura de espaço para, em especial, a partir do 2.º semestre, permitir a criação líquida de empregos, elevação da massa de salários na economia, ampliação do consumo das famílias, e mudança substancial da performance do varejo.

O cenário atual abre perspectivas para se acreditar que a fase mais crítica da recessão está sendo superada, permitindo para 2018, mantidas as condições atuais, e não ocorrendo imprevistos políticos ou econômicos, a economia do país possa usufruir de nova realidade, reverter o perfil recessivo e iniciar um processo de crescimento, com impactos positivos nos Estados.

Abre-se espaço, igualmente, para a viabilização de um ambiente psicológico positivo, que possibilite ampliação e melhoria das perspectivas econômicas futuras, uma espécie de otimização das expectativas dos agentes produtivos em relação ao ambiente macroeconômico. A análise, entretanto, foi emitida antes de vir à tona os fatos envolvendo a JBS e a presidência da república e sua assessoria.