As quedas de granizo no último final de semana causaram acentuados estragos nos pomares de maçãs em Palmas, sul do Paraná. Praticamente todas os pomares do município foram atingidos, com alguns sendo totalmente destruídos. Ainda não há avaliação precisa do impacto sobre a produtividade e qualidade da safra 2014/2015. Na safra passada o município colheu 14,2 mil toneladas entre todas as variedades.

Conforme o produtor e presidente da Frutipar – Associação dos Fruticultores de Paraná, Ivanir Dallagnol, os pomares mais afetados foram os que ficam na região mais baixa dos Campos de Palmas no Horizonte, atingidos por pedras de granizo do tamanho de um ovo de galinha danificando totalmente as plantações. Outra região bastante afetada foi próxima do perímetro urbano onde estão localizadas uma das maiores plantações, nos pomares Lovo. “Em trinta nos na atividade não tinha visto granizo como este”, disse Dallagnol.

Avaliou que neste momento ainda não é possível apontar o percentual de perdas porque os frutos ainda estão em fase de formação. Entretanto é certo que as variedades precoces, como a EVA, cuja colheita ocorre a partir de meados de dezembro, sejam as mais afetadas por estarem em  estágio bem avançado no ciclo produtivo. “Nas demais variedades, como Gala e Fuji, é possível fazer uma tentativa  de salvar parte da produção de alguns pomares através de um manejo adequado”, avaliou. Explicou que o granizo  que atinge o fruto e provoca manchas que levam ao apodrecimento.

Além da quebra da produtividade da safra 2014/2015, a qualidade também deverá sofrer impacto com o granizo. Para o produtor, a expectativa de colher frutos de tamanhos extras deverá ficar prejudicada.Para o presidente da Frutipar, os produtores não deverão ter perdas financeiras em função de que todos os pomares estão segurados contra o granizo, mas deixarão de ter lucro na atividade por conta da qualidade.