A partir do dia 13 de setembro, os trabalhadores brasileiros poderão começar a sacar valores de suas contas ativas e inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Conforme o Ministério da Economia, os empregados poderão sacar até R$ 500,00 de cada conta ou ainda realizar um saque anual, de acordo com a sua data de aniversário.

Entretanto, quase 1,6 mil trabalhadores de Palmas não terão acesso à totalidade de suas contas do FGTS, visto que 20 empregadores do município têm dívidas relacionadas ao Fundo de Garantia. Os dados foram obtidos com exclusividade pelo Setor de Estatísticas da Rádio Club/RBJ junto à Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

A dívida total dos empregadores palmenses com o FGTS soma R$ 9,915 milhões, atingindo 1.592 trabalhadores. O FGTS é um direito do trabalhador com carteira assinada. Até o dia 7 de cada mês, os empregadores devem depositar em contas abertas na Caixa Econômica Federal, em nome dos empregados, o valor correspondente a 8% do salário de cada funcionário.

O fundo não acarreta desconto no salário, pois se trata de uma obrigação do empregador. Se tiver depósitos a receber, o trabalhador pode tentar reaver o dinheiro acionando a Justiça do Trabalho.

A PGFN é o órgão responsável por atuar na cobrança dos valores que deixaram de ser recolhidos e que, por isso, foram encaminhados para inscrição em dívida ativa.

O trabalhador pode consultar o saldo do FGTS das contas referentes aos empregos em que trabalhou pessoalmente nas agências da Caixa, com cartão cidadão, no site da Caixa e do próprio FGTS , ou ainda por aplicativo para celular. No site da Caixa, é preciso informar o NIS (PIS/Pasep), que pode ser consultado na carteira de trabalho, e cadastrar uma senha.