A proposta de mudanças no regime previdenciário do país, chamada pelo governo federal de “Nova Previdência”, poderá acabar com o pagamento do abono salarial para mais de 6,5 mil trabalhadores do município de Palmas, Sul do Paraná.

O abono é um benefício que assegura o valor de um salário mínimo anual aos trabalhadores que recebem, em média, até dois salários mínimos de remuneração mensal. Ou seja, atualmente, quem tem carteira assinada e recebe até R$ 1.996,00 por mês tem direito ao abono, cujo valor é de um salário, R$ 998,00.

Pela proposta do governo federal, o critério da renda mensal será alterado de dois para um salário mínimo, restringindo o grupo de trabalhadores que podem sacar o benefício.

Segundo a RAIS (Relação Anual de Informações Sociais) de 2017, último ano com dados consolidados, 7,1 mil trabalhadores palmenses tiveram remuneração média de até dois salários mínimos. Com a proposta da “Nova Previdência”, apenas 547 trabalhadores teriam direito ao abono.

A medida do governo federal afetaria outros estados, como Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Deputados dos estados da Região Sul preparam emendas na tentativa de evitar mudanças nos parâmetros e garantir o abono. Para isso, alguns articulam a derrubada da parte da reforma da Previdência que afetaria as regras do abono salarial.