Entrou em vigor nesta terça-feira (9) a nova lei do cadastro positivo. O dispositivo cria um tipo de “currículo financeiro” dos consumidores. Por meio de consulta ao CPF, o histórico de dívidas e pagamentos poderá ser acessado pelos bancos. Instituições financeiras e empresas também terão acesso para avaliação de financiamentos e créditos.

O cadastro negativo prejudica algumas operações, mas o comprovadamente de bom pagador, teoricamente, garante vantagens ao consumidor que está com as contas em dia. O objetivo da nova regulamentação é oferecer melhores condições a clientes com bom histórico.

Até entrar em vigor, o próprio consumidor precisava fazer um cadastro para permitir a consulta ao CPF. Com a nova legislação, a inclusão é automática. No entanto, é possível pedir a exclusão das informações gratuitamente.

Economistas acreditam em um impacto positivo na economia, uma vez que o novo dispositivo pode facilitar o acesso ao dinheiro. Gestoras de crédito também apostam na queda da inadimplência. Como consequência, espera-se uma redução na taxa de juros, mas isso não é uma certeza.

Além disso, outro ponto levado em consideração seria o aumento da competição entre as instituições que oferecem crédito por meio da consulta ao CPF.

Fonte: Paraná Portal