Os gastos com habitação, que englobam gastos com aluguel, energia, serviços domésticos, manutenções, entre outras despesas, deverão custar mais de R$ 247,6 milhões aos palmenses neste ano. Essa é a categoria que abrangerá o maior volume de gastos no município de Palmas, segundo o Índice de Potencial de Consumo, levantado pela empresa IPC Marketing.

+ Palmenses devem movimentar mais de R$ 1 bilhão no consumo de bens e serviços

Ao todo, o potencial de consumo da população palmense deverá ultrapassar R$ 1 bilhão neste ano, sendo a primeira vez que o município chega à casa do bilhão. O valor é quase 11% maior que o previsto em 2019.

As despesas com alimentação ficarão próximas de R$ 130 milhões. Com bebidas, de todos os gêneros, os gastos deverão chegar a R$ 12,8 milhões. As contas com veículos totalizarão R$ 142,2 milhões.

O estudo do IPC aponta uma categoria de “outras despesas”, que abrange desde gastos com cabeleireiros, tinturarias, práticas religiosas, serviços de cartórios, imposto de renda, contribuições trabalhistas, entre outras, que totalizarão R$ 195,4 milhões.

  • Compartilhe no Facebook

Categorias de consumo da população palmense em 2020 (Fonte: IPC Maps)

O estudo apresenta ainda o potencial de consumo, de acordo com as classes econômicas da população. A chamada classe B, cujos rendimentos variam de R$ 5,6 mil a R$ 11,2 mil, deverá consumir o equivalente a R$ 393,4 milhões em Palmas. Porém, as classes mais baixas – C, D e E – e que têm rendas de R$ 720,00 a R$ 3 mil, movimentarão R$ 505,6 milhões, quase 50% de todo o potencial de consumo da população palmense neste ano.