Os produtores de batata, que tem suas lavouras e beneficiadoras na região de Palmas, sul do Paraná poderão recuperar, neste ano, os prejuízos das duas safras anteriores. A avaliação é do Departamento de Economia Rural (DERAL) da Secretaria da Agricultura e Abastecimento(SEAB).

Conforme levantamento preliminar, mesmo com produção e produtividade menores os preços estão mais atrativos. Conforme o engenheiro agrônomo, Josemar Banack Fonseca, isso poderá trazer novo superávit ao setor. Informou a média está ficando em 35 mil quilos por hectare.

Os produtores locais estão buscando novas áreas, principalmente, nos municípios de Coronel Domingos Soares, Mangueirinha, Honório Serpa e Pinhão. Explicou Banack que por condições climáticas especiais as novas lavouras são aproveitadas para o plantio da batata semente, pois os produtores ganham tempo em relação a outras regiões produtoras do país.

Em 2017, a Batata foi responsável por 10% de toda a movimentação da agropecuária palmense, que totalizou R$ 266,8 milhões de reais, conforme o cálculo do Valor Básico de Produção(VBP) do Deral.

MAÇÃ

Na avaliação preliminar do órgão de economia agropecuária do governo do estado, a safra da maça de Palmas deverá ser menor nesta safra iniciada em janeiro. A projeção indica volume pouco menor que as 9 mil toneladas colhidas na safra passada. A queda na produção está sendo compensada pela qualidade do fruto e pelos bons preços na comercialização