A Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), câmpus Francisco Beltrão, injeta mensalmente aproximadamente R$ 2 milhões diretamente na economia beltronense. Os dados levam em conta a folha líquida de pagamento dos servidores, os auxílios recebidos por alguns alunos para permanência na instituição, os custos para instalação no município e a média de um salário mínimo por aluno para se manter.

De acordo com o diretor-geral, Alexandre da Trindade Alfaro, o valor é significativo e movimenta diversos ramos da economia. “Nossos alunos e servidores gastam com hospedagem, alimentação, transporte, vestuário, saúde e lazer. São valores que circulam todo mês e geram arrecadação”, declarou o diretor.

Os números tendem a aumentar significativamente nos próximos anos, já que o Câmpus está pleiteando três novos cursos até 2016. “Com isso teremos o ingresso de 264 novos alunos por ano e consequentemente aumentará o número de servidores para atender a essa demanda”, afirmou Alfaro.

Para Marcos Guerra, presidente da Associação Comercial e Empresarial de Francisco Beltrão (Acefb), uma instituição forte e com credibilidade como a UTFPR traz ao município oportunidades únicas para um desenvolvimento econômico sustentável e seguro. “Pessoas comprometidas com uma instituição de tal relevância, são importantes par o comércio local, pela sua contribuição financeira e educacional também. Importante as lideranças locais entenderem os investimentos da UTFPR em nosso município e quanto pode crescer com fomento de rendas e conhecimento para o município”, destacou Guerra.

Expansão e investimento

A universidade está em expansão e atualmente conta com cinco cursos regulares, sendo quatro graduações: Engenharia Ambiental, Engenharia Química, Licenciatura em Informática e Tecnologia em Alimentos que deverá tornar-se Engenharia de Alimentos já para o primeiro ingresso em 2015; e um mestrado em Tecnologia de Alimentos.

Além disso a UTFPR vem investindo aproximadamente de R$ 10 milhões em reforma e ampliação do câmpus. As principais obras são a de construção do novo bloco didático, com 4.300 metros quadrados e um centro de convivência para os alunos.