Indícios de irregularidade levaram o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) a emitir medida cautelar que suspende o teste seletivo da Fundação Municipal de Saúde de Bituruna, no Sul do Paraná,  para contratação temporária de agente comunitário de saúde, auxiliar de clínica dentária, enfermeiro e técnico em enfermagem.

As possíveis irregularidades foram detectadas com base na nova sistemática de análise de admissões. Os técnicos do TCE afirmaram que os dados referentes à primeira fase da análise do processo de admissão foram enviados com atraso, impedindo que fossem apontadas as irregularidades em momento oportuno, e que as informações referentes às fases 3 e 4 sequer foram enviadas.

A Coordenadoria de Fiscalização de Atos de Pessoal (COFAP)  afirmou que não foi especificada a qualificação técnica dos membros da comissão avaliadora do Teste Seletivo, inviabilizando a análise quanto à compatibilidade da formação dos profissionais da comissão com o concurso no qual realizarão a avaliação.

O relator do processo destacou que são graves e variadas as irregularidades. Assim, o auditor do TCE-PR,  Sérgio Ricardo Valadares Fonseca, determinou a suspensão cautelar do seletivo, pois poderia haver dano irreparável caso fosse dado prosseguimento ao certame e fossem chamados os candidatos aprovados.

O Tribunal intimou a Fundação Municipal de Saúde de Bituruna para o cumprimento imediato da decisão e manifestação nos autos no prazo de 15 dias.