A proposta de negociação de uma dívida da prefeitura de Palmas com SAMU 192 será avaliada no próximo dia 05 de dezembro. O município deve mais de R$ 500 mil ao Consórcio Intermunicipal da Rede de Urgências e Emergência do Sudoeste do Paraná. O município já efetuou pagamento de algumas mensalidades em atraso.

A questão foi um dos temas abordados no último sábado (29) na Rádio Club AM pela Coordenadora Geral do SAMU, Kelly Cristina Custódio dos Santos e pelo coordenador médico, Gilmar AbeggConforme explicou a coordenadora na próxima sexta-feira o Conselho Deliberativo do Ciruspar, formada por oito prefeitos, estará avaliando a proposta de negociação da dívida de mais de R$ 500 mil reais apresentada pela administração municipal de Palmas, para impedir que o serviço seja suspenso no município.

Conforme informou o débito junto ao Consórcio vem desde o final de 2013, e a administração já manifestou intenção de liquidar a conta, tendo inclusive já efetuado o depósito de relativo a mensalidade de dois meses. Explicou que agora a proposta será analisada pelo Conselho e levada a votação pela Assembleia. Caso seja deliberada de forma positiva, o serviço continuará sendo prestado.

Do contrário, o que ocorre é a interrupção dos serviços pelo Consórcio que suspende os trabalhos pelos os funcionários que atuam na base local. Alertou que Palmas não pode ficar sem o serviço, pelo elevada demanda da população por atendimentos realizados. Num comparativo à sua população é o município que mais utiliza o serviço em toda a região, tendo atendido entre fevereiro do ano passado a outubro deste ano, 3.160 atendimentos, num média de170 ao mês.