Foi realizado na noite de terça-feira(11) o Seminário de Sensibilização para o planejamento estratégico de desenvolvimento do município de Palmas, sul do Paraná. A iniciativa do Movimento Palmas Desenvolvida e que está tendo apoio da FIEP – Federação das Indústrias do Estado do Paraná, reuniu na ACIPA – Associação Comercial e Empresarial, representantes de 36 entidades públicas, privadas e do terceiro setor do município.

Na ocasião, o Gerente de Fomento e Desenvolvimento da FIEP, Marcelo Percicotti da Silva, apresentou algumas diretrizes do plano e fez uma explanação preliminar de dados relativos a realidade da Saúde; Educação; Emprego e Renda; e Desenvolvimento Urbano, eixos elencados pela metodologia de trabalho como estratégicos para construção de um planejamento para o crescimento e desenvolvimento econômico e social do município.

Logo após a breve reflexão sobre município e seu contexto, de forma voluntária, foram compostos Grupos de Trabalho, que através da metodologia participativa, voltarão a se reunir no próximo dia primeiro de setembro quando analisarão, através de um trabalho intensivo, uma série de novos dados para então apontar algumas propostas que estarão sendo contempladas nas diretrizes centrais do Plano,

Conforme explicou Percicotti, os grupos representativos da sociedade apontarão o que fazer para resolver os problemas e carências do município. Posteriormente, serão adotadas as metodologias e ferramentas de gestão de como estabelecer um processo contínuo de ações para que o município alcance sua meta de alto grau de desenvolvimento até 2030.  Conforme ele, a potencialidade do município é muito grande e isso ficou demonstrado pela maciça participação das lideranças. “Nós não estamos falando apenas em quantidade, mas da heterogeneidade e qualidade das instituições, bem como o comprometimento demonstrado pela causa”, avaliou.

Ao considerar sobre os dados preliminares, Percicotti destacou que todas as localidades são marcadas por pontos fortes e fracos. “Em Palmas e toda a microrregião há muitos pontos fortes e há uma riqueza enorme. Juntando forças, fraquezas e oportunidades dá para fazer um grande trabalho convergente. Eu não tenho dúvida que deverão ser gerados ótimos frutos a partir desse planejamento, aproveitando e maximizando as potencialidades”, disse ele.

Ao avaliar o trabalho de base do Palmas 2030, o vice coordenador do Movimento Palmas Desenvolvida, Jerry Adriani Marini, enalteceu a grande participação das entidades que perceberam a importância do envolvimento em torno do projeto. “Estas entidades de forma definitiva é que irão dizer o que é importante para o nosso município para os próximos anos”. Avaliou que Palmas vive um momento diferente e isso pode modificar a realidade do município. “Quem sabe agora através de todas as entidades possam estabelecer conexões com vários segmentos gerando decisões que tragam o desenvolvimento que tanto esperamos”, disse ele.