A enquete indagando aos leitores do RBJ se estavam dispostos a pagar pedágios para transitar na PRC 280 – rodovia que corta o Sudoeste do PR – além do resultado favorável ao custo, provocou diversidade de posicionamentos, também pelas redes sociais.

Em um dos comentários, o professor do IFPR (Campus Palmas), Kleber Farinazo Borges, se mostrou totalmente contrário ao pagamento e criticou a proposta de cobrança, caso venha se concretizar o projeto de concessão da rodovia pelo governo do estado. Além disso, além da indignação quanto à perspectiva, apresentou um cálculo para justificar seu posicionamento.

Conforme ele, com base na projeção de arrecadação pelo Governo do Estado há má aplicação do dinheiro público. Calculou que somente a prevista arrecadação com o IPVA neste ano, seria suficiente para reformar praticamente toda a malha rodoviária estadual a cada ano, sem necessidade de que o contribuinte desembolse duplamente para pagar o Imposto e mais os eventuais pedágios.

Esclareceu Farinazo Borges, que “segundo o tratamento tributário, previsto por Lei, o Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) é destinado às rodovias estaduais e municipais, cujo valor arrecadado, 50% fica com o estado e 50% ao município. Entretanto, não se sabe ao certo para onde vai o dinheiro.
Conforme lei proposta e sancionada pelo governador, Beto Richa (PSDB), a alíquota aplicada para cálculo do valor do IPVA em 2015, foi reajustada de 2,5% para 3,5%, em relação ao ano de 2014. Para chegar ao valor é preciso identificar o valor venal do veículo. O Paraná arrecadará neste ano de 2015 algo em torno de R$ 2.700.000.000,00 – (dois bilhões e setecentos milhões de reais).

O governo do estado informou que a estimativa de investimento total na recuperação de um trecho de 60 km será de R$ 15,5 milhões. Estes valores, diga-se de passagem, são extremamente altos… Equivale a pouco mais de R$ 250.000,00 por km. Caros leitores, o dinheiro arrecadado com IPVA no Paraná daria para recuperar 10.800 km de estradas estaduais e municipais no nosso estado. Segundo a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística do Paraná, as estradas estaduais do Paraná somam um total de 15.919,33 km. Ou seja, caros leitores e usuários destas estradas vergonhosas, a cada ano e meio poderia o governo estadual, se empregasse o dinheiro do imposto devidamente, recuperar toda malha viária estadual… Será que temos mesmo que pagar pedágio?

E se pagarmos o pedágio, estaremos pagando imposto duas vezes para um mesmo fim, pois o IPVA não irá diminuir seu valor e mais uma vez o nosso bolso será saqueado.