Em despacho na terça-feira (14), o juiz Luís Mauro Lindenmeyer Eche retificou sua decisão e incluiu o ex-prefeito de Bituruna, Sul do Paraná, Rodrigo Rossoni (PSDB) em um bloqueio de bens de R$ 9,3 milhões que agora abrange, além do político, a Valor Construtura, seu dono – Eduardo Lopes de Souza -, e três servidores públicos do município. A decisão foi tomada a pedido do Ministério Público do Paraná (MP-PR) que, em ação civil pública, apontou indícios de fraude e direcionamento na licitação realizada pela prefeitura para a reforma da Escola Municipal Dr. Oscar Geyer.

De acordo com a investigação do MP-PR, o contrato com a Valor para a obra foi assinado durante a gestão do tucano. Ainda segundo o MP, não houve observância dos requisitos formais do edital e não houve comprovação da capacidade econômico-financeira da empresa. Além disso, os promotores apontam ausência da exigência de acervo da construtora no edital de licitação, o que configuraria fraude. A obra da escola, orçada inicialmente em R$ 1,5 milhão, custou mais de R$ 2,3 milhões.