A direção do Hospital Santa Pelizzari reagiu à decisão do Departamento de Saúde do município de Palmas, sul do Paraná, determinando  que a partir da próxima segunda-feira (24)  a unidade hospitalar é que fará os atendimentos de urgências e emergências, no período da meia noite às sete da manhã, até então oferecidos pelo Pronto Atendimento Municipal(PAM).  Conforme o diretor clínico, Ademir Pelizzari, não há qualquer possibilidade de assumir esse turno de atendimento, conforme anunciou o diretor de saúde do município, Luis Fernandes Stédile.

18/08 –PAM de Palmas deixará de atender urgências e emergências durante a madrugada

Pela nova sistemática, definida pelo setor público de saúde, a porta de entrada durante a madrugada deverá ser feita diretamente no hospital. “Continuaremos atendendo as urgências e emergências encaminhadas pelo Pronto Atendimento Municipal, Corpo de Bombeiros e SAMU”, conforme documento datado de março deste ano”, esclareceu Pelizzari. Disse que além da direção, também o quadro clínico do hospital não tem interesse em aderir a estabelecida nova sistemática.

Salientou que o valor que o município anunciou que pretende repassar ao Hospital, R$ 12.000,00 mensais, é bastante inferior ao custo para manutenção da equipe de plantão. A decisão pelo não atendimento extra, também consta de um ofício ao Conselho Municipal de Saúde, ainda no final da tarde de ontem, conforme confirmação do seu presidente, Célio Ribas.

Mesmo diante do impasse, o Diário oficial do Município(DIOEMS) publicou nesta terça-feira(19), um processo de Inexigibilidade de Licitação em que contrata o Hospital Santa Pelizzari para prestação de Serviços Assistenciais à Saúde, a nível ambulatorial nos horários da 00:00hs às 07:00hs, de segunda à domingo – inclusive nos feriados -com disponibilidade técnica de equipe capacitada para o atendimento SUS em situações de urgência e emergência, pelo prazo de seis meses, sendo renovável ao fim do terceiro mês de vigência.(Acesse)

Na manhã de hoje (19) membros da equipe de gestão do Departamento de Saúde, em entrevista ao Dinâmica 1050, informaram que a partir da próxima segunda-feira, o Pronto Atendimento Municipal não atenderá mais à população, entre a meia noite e às sete da manhã, conforme antecipou o RBJ ainda no dia de ontem. O diretor de saúde, Luis Fernandes Stédile, salientou que a decisão foi tomada para diminuir custos, ao mesmo tempo, que permitirá o remanejamento dos profissionais para equipes da ESF – Estratégia de Saúde da Família. Salientou que como isso, será possível praticamente dobrar a cobertura na atenção básica, atualmente apenas com 5 equipes, deixando descoberta praticamente metade da população de aproximadamente 50 mil habitantes.

Quanto a informação de que o Hospital não irá atender aos pacientes do PAM, durante a madrugada, Luis Fernandes Stédile, disse desconhecer o fato, mas ressaltou que como há um contrato em vigência desde março,  é obrigação acolher as urgências e emergências, sob pena de o Hospital ser responsabilizado por descumprimento contratual.