O juiz Marco Antonio Dala Costa, da 3ª Vara de Execução Penais de Curitiba, autorizou no último dia 17 de outubro a transferência do ex-prefeito de Realeza e ex-assessor da Casa Civil, Eduardo Gaievski, da unidade penal de Piraquara para o Centro de Reintegração Social de Barracão, no sudoeste. No despacho, o juiz diz que é “direito assegurado ao preso de cumprir sua pena em local próximo a seus familiares, a fim de manter os laços familiares, de consagrada importância no processo de reabilitação social”.

Gaievski já teve três condenações por estupro de menores e está cumprindo pena de 28 anos e sete meses de reclusão em regime fechado. A expectativa da promotora de Realeza, Fernanda Bertoncini Menezes, é de que outras sentenças saiam nos próximos dias. Além dos casos de estupro de vulnerável (17 relações com duas vítimas), Gaievski também responde por estupro (com vítimas acima de 14 anos) e assédio sexual. Segundo a promotora, ao final de todas as ações o Judiciário determinará a unificação das penas.

Em setembro, Gaievski foi condenado a 18 anos e um mês de prisão em um dos 17 processos a que responde. No mês de outubro foi condenado em outro processo, com uma pena de mais de 10 anos.  Os crimes teriam ocorrido quando ele era prefeito de Realeza, entre 2005 e 2012. Na época, o então prefeito teria prometido cargos públicos em troca de favores sexuais. Desde o início das denúncias ele está suspenso do PT. Gaievski ficou uma semana foragido em agosto de 2013 e foi preso no dia 31 do mesmo mês, em Foz do Iguaçu, no Oeste do estado. Ele estava no apartamento de parentes e foi surpreendido por policiais civis.