A colheita de soja chegou a 35% da área cultivada na região Sudoeste do Paraná nesta semana, equivalente a 105 mil hectares de um total de 299 mil de hectares semeados nesta safra nos municípios vinculados ao Núcleo da Secretaria da Agricultura e Abastecimento de Pato Branco – SEAB. As condições climáticas estão impedindo um avanço maior em lavouras que estão prontas para a colheita.

No quadro da safra 2014/2015, apresentado do engenheiro agrônomo do DERAL – Departamento de Economia Rural, Josemar Banach Fonseca, aproximadamente 15% das lavouras já estão prontas, mas os produtores não conseguem por conta das chuvas praticamente diárias que estão atingindo a região, o que impede um tempo maior de colheita.

Salientou que a produtividade nas lavouras já colhidas, tem apresentado um resultado superior à safra passada, com 3.245 quilos por hectare em média. Com isso há uma previsão de uma colheita de aproximadamente 1 milhão de toneladas de soja na região de análise.

“Se não tivesse ocorrido um forte ataque de pragas e agora alguns fungos por conta da umidade, o volume poderia chegar a um milhão e quarenta mil toneladas, somando-se o volume da safrinha”, explicou ele. Mesmo com a possibilidade de redução, neste ano, a safra será recorde. No ano passado nos 15 municípios foram colhidas 850 mil toneladas.

O maior produtor de soja na região é Mangueirinha que deverá fechar a safra com 130 mil toneladas, seguido de Clevelândia, com 110. Na sequência Coronel Vivida, com 97 mil; Pato Branco e Palmas com uma média pouco superior a 80 mil toneladas.