O deputado Assis do Couto, acompanhado de um grupo de parlamentares de todo o mundo, está em Roma, onde participa da Segunda Conferência Internacional sobre Nutrição (ICN2). O evento é promovido pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO/ONU) em conjunto com a Organização Mundial de Saúde (OMS/ONU) e contará com a presença do Papa Francisco.

A Conferência é uma reunião ministerial de alto nível, e ao final irá propor que os diversos países que fazem parte da Organização das Nações Unidas (ONU) implementem políticas públicas para superar a fome e a desnutrição. Os participantes ainda identificarão prioridades para o reforço da cooperação internacional em matéria de nutrição. Além do Papa Francisco, chefes de estados e ministros de Agricultura e Saúde do mundo inteiro foram convidados para o evento.

Por telefone, o deputado Assis do Couto deu detalhes de um evento preparatório para o evento. “Iniciamos cedo uma pré-conferência parlamentar. São deputados e senadores de vários continentes, com destaque para países africanos e latino-americanos. O objetivo é construir um documento dos parlamentares para a conferência, que começa na quarta-feira”, comentou.

Assis, que é presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, falou sobre o documento: “Gira em torno dos desafios dos países para enfrentar o tema da fome: as experiências legislativas de cada um são levadas em conta. E aí o Brasil é uma referência importante pelos resultados já alcançados no combate à fome a má nutrição”, completou.

Para encerrar a programação da terça-feira, a comitiva brasileira participou de uma reunião com na Embaixada Brasileira com a embaixadora do Brasil junto à FAO, Maria Laura da Rocha, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, e o secretário da Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, Arnoldo Campos.

Os deputados foram convidados diretamente pelo Diretor-Geral da FAO, José Graziano, e fazem parte da delegação oficial do Brasil. No convite, Graziano afirmou que atribui grande importância ao papel dos parlamentares em assegurar que o compromisso político alcançado na ICN2 seja implementado em nível nacional. “Esta participação permitirá assegurar uma contribuição importante dos parlamentares, que é tão necessária para o êxito desta iniciativa e implementar os compromissos posteriores”, disse.