Menu Envie sua pauta
Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
14 de maio de 2021
Rádios

Dia Mundial da Terra: Palmas emite mais de 260 mil toneladas de gases-estufa por ano

Dados fazem parte de um levantamento realizado pelo Observatório do Clima.

Meio Ambiente

por Guilherme Zimermann

DSC_0215
Publicidade

Palmas emite mais de 260 mil toneladas de gases-estufa na atmosfera por ano. Desmatamento e alterações no uso do solo são os principais meios de emissão de gases pelo município, contribuindo para o aquecimento global.

Os dados fazem parte de um estudo do Observatório do Clima, que desenvolveu o Sistema de Estimativas de Emissões e Remoções de Gases de Efeito Estufa (SEEG), que apurou as emissões de gases-estufa de cada um dos municípios brasileiros entre 2000 e 2018.

Somente no último ano do levantamento, 264,7 mil toneladas de CO2 (dióxido de carbono) foram emitidos na atmosfera pelo município de Palmas. Mudanças no uso do solo, o que inclui o desmatamento, foram responsáveis pela emissão de 110,7 mil toneladas. Atividades ligadas a agropecuária emitiram mais 76,7 mil toneladas. Pelo setor de energia, que abrange a queima de combustíveis, foram mais 65,7 mil toneladas e pelo manejo de resíduos sólidos, que envolve o saneamento básico, mais 11,5 mil toneladas.

Por outro lado, em 2018, Palmas contabilizou a remoção ou absorção de 84,7 mil toneladas de CO2. Quase 90% desse total foi removida através de vegetação secundária, que ocorre através de um processo natural de regeneração da vegetação. Nas áreas onde as florestas secundárias se instalam, geralmente houve algum tipo de corte raso, queimada ou uso para agricultura ou pastagem. Outras 6 mil toneladas foram absorvidas por áreas de proteção do município e mais 3 mil toneladas de gás foram removidas da atmosfera por alterações do solo que contribuíram para o aumento do estoque de carbono por hectare.

Publicidade
Publicidade

O que é CO2 (dióxido de carbono)?

De acordo com o portal Brasil Escola, o dióxido de carbono é um composto químico descoberto, em 1754, pelo escocês Joseph Black, constituído por dois átomos de oxigênio e um átomo de carbono, cuja fórmula química é CO2.

É um produto derivado da reação de diferentes processos, como a combustão do carvão e dos hidrocarbonetos, a fermentação dos líquidos e a respiração dos seres humanos e dos animais.

Ele é importante pelo fato de ser um composto essencial para a realização da fotossíntese – síntese de carboidrato a partir de água e dióxido de carbono (CO2), processo vital para a manutenção dos seres vivos.

Publicidade
Publicidade

Porém, torna-se prejudicial quando é liberado pela queima de combustíveis fósseis, acarretando em alterações nos estoques naturais de carbono, levando à mudança no clima do planeta.

Dia Mundial da Terra

Nesta quinta-feira, 22 de abril, é celebrado o Dia Mundial da Terra, data que busca estimular a consciência sobre os problemas causados pela contaminação, degradação e devastação dos recursos naturais. A data foi criada em 1970, ganhando adesão de diversos países na década de 1990, sendo reconhecida em 2009, pela ONU (Organização das Nações Unidas) também como Dia Internacional da Mãe Terra.

O dia 22 de abril marca também importantes acontecimentos. Nesta quinta-feira (22), por exemplo, tem início a Cúpula dos Líderes sobre o Clima, que reúne chefes de estado e outros representantes para discutir a urgência da crise climática. Além disso, em 22 de abril de 2016 foi assinado o Acordo de Paris, que rege medidas para redução da emissão de gases estufa.

Publicidade