Quinze municípios e 259 mil pessoas do Sudoeste paranaense passaram a contar com os serviços da subseção do Instituto de Criminalística (IC) em Pato Branco. Demanda antiga da região, o espaço foi inaugurado no final da tarde de sexta-feira (01), com a presença do secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Wagner Mesquita, e do diretor-geral da Polícia Científica, Hemerson Bertassoni. A criação da nova unidade foi possível graças a uma parceria entre o Governo do Estado e a prefeitura de Pato Branco.

“A atuação dos peritos criminais e a produção de provas técnicas são cada vez mais importantes na elucidação dos crimes. Esse Instituto de Criminalística de Pato Branco vai trazer melhor condição para o trabalho dos peritos e também melhorar a qualidade de atendimento da população”, afirmou o secretário Mesquita.

Sede da unidade técnica vai funcionar numa casa locad apela prefeitura. Foto: Divulgação SESP
  • Compartilhe no Facebook

Sede da unidade técnica vai funcionar numa casa locad apela prefeitura.
Foto: Divulgação SESP

O prefeito Agustinho Zucchi agradeceu ao governador Beto Richa pela instalação do IC. “Era uma reivindicação de longa data e vem corrigir uma carência da nossa região”, explicou o prefeito.   A administração municipal será responsável pelo aluguel do imóvel, enquanto Estado irá designar um perito e deslocar uma viatura para atuar no Instituto. Na nova unidade serão recebidas as solicitações de laudos, recebimento de armas e outros objetos para a perícia, além do atendimento de ocorrências.

“Houve um estudo e chegou-se à conclusão da necessidade de atendimento, pois se trata de uma região pujante, com municípios distantes e uma malha viária muito grande, que dificultava a agilidade no atendimento”, explicou o diretor do Instituto de Criminalística do Paraná, Daniel Felipetto.

“Nosso trabalho envolve situações trágicas. A partir de agora poderemos atender as ocorrências de uma forma mais rápida. Auxilia na investigação e ainda poupa a população e as famílias envolvidas de situações tristes devido à demora de atendimento, como no recolhimento de um corpo, por exemplo”, acrescentou Felipetto.

O diretor-geral da Polícia Científica, Hemerson Bertassoni, destacou que, com a realização de um novo Processo Seletivo Simplificado (PSS), previsto para os próximos meses, existe a possibilidade de enviar mais peritos para as unidades do interior do Estado. “Estamos otimizando os recursos para nos preparar para um atendimento mais amplo, de acordo com o nosso planejamento estratégico institucional”, disse ele.

A cidade de Pato Branco sediou uma das primeiras unidades do interior do Instituto de Criminalística do Paraná. A seção funcionou até 2004, quando os serviços dos 42 municípios do Sudoeste ficaram concentrados na vizinha Francisco Beltrão.

Com experiência de 22 anos, o perito criminal Patrick Alysson de Souza e Silva, chefe do IC de Francisco Beltrão, será responsável também pela subdivisão de Pato Branco desafogando o atendimento na região. Além de Pato Branco, a unidade vai anteder ainda as cidades de Palmas, Coronel Domingos Soares, Clevelândia, Honório Serpa, Coronel Vivida, Mangueirinha, Chopinzinho, Saudade do Iguaçu, Sulina, São João, Itapejara D´Oeste, Bom Sucesso do Sul, Mariópolis e Vitorino.