O Museu Histórico de Palmas, Sul do Paraná, deverá passar por reformas no segundo semestre do ano. É o que projeta a diretora do Departamento de Cultura, Luiza Mara Motta Santos, que encaminhará nesta semana à coordenação do Patrimônio Histórico e Cultural do Estado, um plano de reparos da estrutura.

  • Compartilhe no Facebook

Construído em 1910 no centro da cidade para servir de moradia para a família do Coronel João Antonio de Araújo Pimpão, em 1946 o prédio foi adquirido pelo Estado e sediou o Fórum do Tribunal de Justiça na Comarca de Palmas por 30 anos. Só em 1979 foi transformado no Museu Municipal Prof. Alexandre Vieira.

Em 2016, o Conselho Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico decidiu, por unanimidade, preservar o edifício e acervo, através do tombamento do Museu Municipal. A partir de então, o patrimônio histórico e cultural do município passou a ser protegido pela Lei Estadual 1211/1953.

Conforme Luiza Mara, desde que assumiu a diretoria do departamento, em 2017, tem buscado junto ao governo estadual, as autorizações para reparos no Museu. Salienta que, justamente por integrar o patrimônio histórico do Estado, a estrutura não pode sofrer qualquer alteração, sem o devido consentimento da coordenação estadual.

Entretanto, por deficiências do próprio órgão, que conta com uma equipe extremamente reduzida para as suas necessidades, o projeto de reformas no museu palmense acabou sendo postergado, pois a coordenação do patrimônio histórico estadual não tem condições de se deslocar ao município, para as verificações necessárias.

  • Compartilhe no Facebook

Foto: Arquivo/Prefeitura Municipal

Porém, diante da deterioração da estrutura, que sofre com infiltrações e outras avarias, o município conseguiu a autorização para realizar os reparos, mediante o encaminhamento do projeto para a capital do Estado, onde passará por análise dos técnicos da área cultural.

Segundo a diretora do Departamento de Cultura, a estimativa é que as obras de reparos no telhado, paredes, janelas e estrutura interna sejam realizadas no segundo semestre, estando concluídas até o Natal, uma vez que o Museu Prof. Alexandre Vieira integra as atividades natalinas. Ouça: