A Exposição Guerra do Contestado: 100 anos de memórias e narrativas foi aberta oficialmente, às 10h00 nesta quinta-feira (14) na Câmara de Vereadores de Abelardo Luz, Oeste de Santa Catarina e poderá ser visitada até 14 de dezembro, no hall da Casa Legislativa. A  versão modular que conta a história de um dos mais sangrentos episódios da história do Brasil, ocorrido entre os anos de 1912 e 1916, na região do Contestado, cujo território era alvo de disputas entre os estados de Santa Catarina e Paraná.

Conforme os registros,  à questão das fronteiras se somou  a eclosão de um surto messiânico influenciado pelo grande número de pessoas sem terra e sem emprego na região. Eram ex-camponeses, expulsos de suas terras para a implantação de uma madeireira, e ex-operários da estrada de ferro Brazil Railway, que trabalharam na construção e se viram sem trabalho com o fim do empreendimento.

Nesse cenário, surgiram profetas e monges pregando ideais de justiça, paz e comunhão, indo de encontro ao autoritarismo e à ordem republicana na época. Preocupados com o crescimento do movimento popular, os governos estadual e federal começaram a agir contra a comunidade, com o envio de tropas militares para a região. Os sertanejos resistiram à ação da artilharia pesada do exército até 1916.

A Guerra do Contestado colocou em evidência, pela primeira vez no Brasil, temas fundamentais do mundo contemporâneo: a ecologia, a liberdade religiosa, a posse da terra e a contestação de relações sociais arcaicas em pleno século XX.

A realização da Mostra é da Fundação Catarinense de Cultura e Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação.A visitação nas segundas-feiras será das 08h00 às 12h00 e das 13h30 às 17h30. De terça a sexta-feira, somente no horário matutino. Os grupos devem agendar pelo telefone(49) 3445-4198.