Está em fase de conclusão o processo de tombamento do prédio e do acervo do museu municipal Professor José Alexandre Vieira, bem como a obra de Poty Lazzarotto,  localizada às margens da PRC 280, no trevo da entrada da cidade. Com isso,o museu localizado no centro da cidade e o monumento farão parte do Patrimônio Histórico do Paraná. A solicitação feita pelo município junto à Secretaria Estadual da Cultura, foi reconhecida no final do ano de 2012.

Conforme a diretora do Departamento de Cultura de Palmas, Ivanilda Gonzaga, o fotógrafo da Secretaria de Cultura já esteve em Palmas, fazendo os registros fotográficos de todo o acervo do museu municipal e também do monumento localizado na entrada do município.

Segundo ela, já foi realizado o preenchimento do livro tombo e a efetivação do tombamento do museu de Palmas será feita nos próximos dias. Conforme Gonzaga, o principal benefício do tombamento do museu se dá pela preservação tanto do acervo como da estrutura predial em que ele está sediado. Destaca que, ao fazer parte do Patrimônio do Estado, o museu será contemplado por projetos da Secretaria de Cultura, viabilizando a obtenção de recursos para reformas e restaurações do acervo e do prédio do museu.

O prédio que hoje abriga o Museu da cidade foi construído no inicio dos anos 1900 para servir como moradia do Coronel João Antonio de Araujo Pimpão, de família pioneira do município. Conforme a museóloga Zenilda Ochoa, responsável pelo museu municipal, por volta de 1946 o prédio foi adquirido pelo Estado e sediou o Fórum do  Tribunal de Justiça na Comarca de Palmas por 30 anos, sendo posteriormente criado o museu.

O acervo do museu de Palmas conta atualmente com 2.080 peças, datadas desde o ano de 1.745 até o final dos anos 1.980. Segundo Ochoa, cerca de 400 pessoas visitam o museu mensalmente, grande parte desse público são estudantes das redes municipal, estadual e ensino superior.

Conforme ela, o museu municipal hoje conta com um espaço físico pequeno, o que dificulta para o alocamento de novas peças. Informa que, após concluído o processo de tombamento do museu, pretende-se ampliar o museu municipal, podendo assim obter mais peças para o seu acervo.