Menu Envie sua pauta
Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
13 de abril de 2021
Rádios

Comerciantes se manifestam contra fechamento do comércio em Francisco Beltrão

Cotidiano

por Romeu Junior

protesto
Publicidade

Com bandeiras do Brasil e manifestações sonoras de “Beltrão não pode parar”, dezenas de comerciantes de diversos segmentos do comércio geral, prestação de serviços e do setor gastronômico se reuniram por volta das 11 horas da manhã deste sábado (04) no cruzamento das ruas Octaviano Teixeira dos Santos com a Tenente Camargo onde estão localizados os prédios da Câmara de Vereadores e da Prefeitura de Francisco Beltrão. O objetivo, segundo os organizadores, foi de mobilizar e tentar um diálogo com o prefeito Cleber Fontana que emitiu um novo decreto durante a sexta-feira (03) determinando o fechamento do comércio local por mais 12 dias devido as precauções da COVID-19.

As novas determinações do decreto nº 170/2020 “prorroga por mais 12 (doze) dias corridos, a partir do dia 05 de abril de todos os efeitos do Decreto Municipal nº 156 de 19 de março de 2020 para enfrentamento da pandemia decorrente do novo coronaírus (COVID-19)”. Os empresários alegam que já estão amargando prejuízos, demissões e que seria possível reabrir a maioria dos estabelecimentos comerciais com restrições e fiscalizações mais severas por parte das autoridades de saúde e sanitárias. Até o final da manifestação o prefeito de Francisco Beltrão Cleber Fontana não havia se manifestado sobre o novo decreto e a reivindicação dos empresários.

Ainda no final da manhã do sábado, entidades que representam a classe empresarial de Francisco Beltrão emitiram a seguinte nota:

“A Associação Empresarial de Francisco Beltrão (ACEFB), o Sindilojas de Francisco Beltrão e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Francisco Beltrão, se posicionaram na tarde desta sexta-feira, 3 de abril, em nota enviada ao prefeito de Francisco Beltrão, Cleber Fontana, quanto à possibilidade de reabertura do comércio local. As entidades entendem que “a Saúde Pública se sobrepõe ao contexto econômico e sempre age pautada na legalidade, tanto na esfera municipal, estadual e federal. Contudo, entendem também que o fator econômico impacta fortemente na capacidade de as famílias fazerem frente às suas necessidades básicas, inclusive na saúde. Assim, acreditam ser necessário o encaminhamento no sentido de flexibilização quanto à abertura das atividades econômicas ainda restritas em Francisco Beltrão. Entretanto, salientam que é indispensável que esta flexibilização venha acompanhada de um cronograma e um protocolo rígido de procedimentos e também que ocorra a efetiva fiscalização, sob pena de se colocar em risco todo o resultado positivo já conquistado com as medidas tomadas e que tanto transtorno – ainda que necessário – causaram. Por fim, esperam e torcem por uma regulamentação mais específica advinda da União e do Estado do Paraná, a fim de unificar o entendimento de que todos estarão protegidos, tanto na saúde quanto na economia”.

Publicidade
Publicidade
Publicidade