Menu Envie sua pauta
Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
13 de abril de 2021
Rádios

Comandante da 2ª CIA da PM de Palmas fala sobre ocorrência de cárcere privado

Polícia

por Guilherme Zimermann

916d2988-3dfe-4aa2-b84e-b69f0ace4754
Negociação entre PM e sequestrador durou mais de 12 horas. Foto: Alemão/ Folha de Palmas
Publicidade

O comandante da 2ª Companhia da Polícia Militar de Palmas, tenente Bruno Emanuel Lopes Bueno, em entrevista à Rádio Club/RBJ, comentou sobre a atuação da corporação na ocorrência que cárcere privado registrada no final de semana, onde um homem manteve sua a ex-sogra e duas ex-cunhadas reféns por mais de 12 horas.

[Grupo RBJ de Comunicação] Comandante da 2ª CIA da PM de Palmas fala sobre ocorrência de cárcere privado — Foto: Jornal A Folha
Foto: Jornal A Folha

Conforme o comandante, a ocorrência teve início na noite de sábado (11), quando a PM recebeu a informação que o indivíduo estava se deslocando da cidade de Alpestre, no Rio Grande do Sul, com a mãe e duas irmãs de sua ex-companheira até Palmas com intenção que elas mostrassem onde a ex-mulher estava escondida.

Com base nas informações levantadas, a PM localizou o veículo ocupado pelo elemento e as vítimas já em Palmas. Segundo tenente Bueno, o veículo era conduzido pela ex-sogra do acusado, que durante todo o trajeto foi ameaçada com um revólver apontada para a sua cabeça.

Na tentativa de abordagem, o indivíduo obrigou a condutora a fugir sentido ao município de Abelardo Luz, Oeste de Santa Catarina. Com o apoio da Polícia Militar catarinense foi realizada uma barreira na SC-155, porém, a motorista furou o bloqueio e entrou no perímetro urbano do município abelardense, percorrendo pro algumas ruas e voltando para a rodovia, retornando para Palmas, chegando até o bairro Alto da Glória.

Publicidade
Publicidade
[Grupo RBJ de Comunicação] Comandante da 2ª CIA da PM de Palmas fala sobre ocorrência de cárcere privado — Foto: Polícia Militar/Palmas
Foto: Polícia Militar/Palmas

No local, residência de sua ex-mulher, o homem obrigou as reféns a entrarem na casa, onde permaneceram por mais de 12 horas. O local foi cercado e isolado pela Polícia Militar, dando início à negociação com o suspeito. Equipes do BOPE (Batalhão de Operações Especiais) e COE (Centro de Operações Especiais) foram acionadas, as quais auxiliaram nas negociações feitas pelo oficial do Batalhão de Pato Branco, Aspirante Conrado, e pelo comandante da PM de Palmas. Durante a madrugada de domingo (12), a ex-sogra do acusado foi liberada.

No início da manhã, um grupo de negociadores assumiu o caso e, com auxílio de um advogado, as outras duas reféns foram liberadas e o sequestrador se entregou, sem esboçar reação, deixando a sua arma dentro da casa.

Na sequência, ele foi encaminhado à sede da Companhia da PM, onde foi lavrado o Boletim de Ocorrência e o caso teve seguimento junto à Polícia Civil.

Ouça a entrevista no player abaixo:

Publicidade
Publicidade

 

Publicidade