Menu Envie sua pauta
Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
16 de junho de 2021
Rádios

CNM reduz estimativa de auxílio para municípios da região

Cotidiano

por Guilherme Zimermann

savings-2789137_1920
Publicidade

Estimativa divulgada pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) aponta redução nos valores que deverão ser repassados à microrregião de Palmas através do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus, aprovado pelo Senado Federal no último final de semana.

O pacote de medidas votado pelos senadores soma R$ 125 bilhões. Desse montante, R$ 23 bilhões serão partilhados entre os municípios. A proposta destina R$ 3 bilhões para ações de saúde e assistência social no combate ao novo coronavírus. Os outros R$ 20 bilhões restantes são de uso livre.

Para distribuição, os senadores definiram critérios diferentes para cada recurso. Enquanto os R$ 3 bilhões serão divididos entre os municípios apenas segundo o tamanho da população, os R$ 20 bilhões passarão por distribuição mais específica. Primeiro, divide-se a quantia entre os Estados considerando arrecadação do ICMS, população, cota no Fundo de Participação dos Estados (FPE) e contrapartida paga pela União por isenções fiscais de exportação. Depois, o montante é distribuído entre os municípios de cada Estado por critério populacional.

Inicialmente, a estimativa do Senado Federal, era que o município de Palmas recebesse R$ 6.481.347,85. Já a CNM prevê que o repasse será um pouco menor – cerca de R$ 5,9 milhões.

Publicidade
Publicidade

Segundo a confederação, para Coronel Domingos Soares deverão ser repassados R$ 869,4 mil. Para Honório Serpa, a previsão é de R$ 604,3 mil. Clevelândia poderá receber R$ 1,9 milhão, valor aproximado ao previsto também para Mangueirinha.

A expectativa era que o projeto aprovado pelos senadores fosse votado pela Câmara dos Deputados na segunda-feira (04), o que não ocorreu. Nesta terça-feira (05), a Câmara realiza sessão, porém, o projeto não consta na pauta.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que os deputados devem aprovar o projeto sem alterações, encaminhando-o na sequência para a sanção presidencial. A previsão é que a liberação do auxílio aos municípios seja realizada em quatro parcelas.

 

Publicidade