O município de Abelardo Luz, Oeste de Santa Catarina, está em alerta diante da estiagem que se estende há mais de dois meses. Se não chover significativamente nos próximos dias, o município deverá adotar medidas de racionamento.

O fornecimento de água no município baixou de 30 litros para 25 litros por segundo, o que causa desabastecimento em alguns períodos nos pontos mais altos. No interior também há escassez de água.

São 16 propriedades com problema de abastecimento para animais nas comunidades de José Maria, 25 de Maio, Santa Rosa 2, Bela Vista/Padeiro, Canhadão, Três Palmeiras e Santa Bárbara. A prefeitura está trabalhando com máquinas para abrir reservatórios. Se não chover nos próximos dias, deve iniciar o transporte para consumo humano.

Outro município que enfrenta dificuldades por conta da falta de chuva é São Domingos, cuja prefeitura está transportando água para oito propriedades rurais há duas semanas.

Em Dionísio Cerqueira, a Casan (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento) já encaminhou comunicado aos meios de comunicação pedindo para a população economizar água.

De acordo com o pesquisador Ivan Baldissera, do Centro de Pesquisas da Agricultura Familiar da Epagri de Chapecó, em agosto choveu apenas 17,2 milímetros, para uma média história de 138,6 milímetros.

Em julho choveu 96,8 milímetros, um pouco mais de 60% da média história, que é de 153 milímetros. Em junho foi ainda pior, 44,6 milímetros, o que representa um quarto da média histórica, de 176,2 milímetros.

Fonte: NSC Total