O mais recente boletim da Coordenadora Estadual da Defesa Civil, publicado nesta quinta-feira, (02) mostra que 70 municípios paranaenses foram atingidos pelo ciclone que passou pela região Sul do Brasil na última terça-feira (30). Ao todo, 14.392 pessoas afetadas. As chuvas e ventos fortes danificaram 3.469 residências e destruíram 18. Dez casas ficaram destruídas em Janiópolis, quatro em Morretes, duas em Antonina e uma Wenceslau Braz e em Rebouças. Também há registro de 11 pessoas feridas, nove em Ubiratã, uma em Piên e outra em Santa Lúcia, além de 30 pessoas enfermas.

O total de pessoas que ficaram desalojadas no Estado chega a 280, sendo que 250 continuam se refugiando em casas amigos ou parentes. Das 20 que precisaram ficar em abrigos públicos, 19 permanecem nesta situação. A queda de árvores e postes nas redes de energia chegou a afetar um milhão e 800 mil unidades consumidoras, o que representa 38% dos clientes da Copel. Até a manhã desta quinta-feira, 140 mil unidades consumidoras ainda estavam sem luz. A falta de energia também afetou o abastecimento de água, principalmente em Curitiba e Região Metropolitana.

De acordo com a Sanepar, um milhão e 100 mil residências ficaram desabastecidas. A normalização do abastecimento ocorre de forma gradativa nos pontos afetados e, por isso, o rodízio previamente programado para esta quinta-feira foi suspenso. A Coordenaria Estadual da Defesa Civil iniciou uma campanha para arrecadar produtos para as pessoas afetadas pelo temporal. Estão sendo arrecadados colchões, cobertores e produtos de higiene e limpeza. As doações podem ser entregues em quartéis do Corpo de Bombeiros de todo o Paraná.

Temporal no sudoeste:

Em Francisco Beltrão, de acordo com a Defesa Civil apenas três casas foram destelhadas na terça-feira quando a chuva acompanhada de fortes ventos também atingiu a região sudoeste. Quatro árvores de grande porte também caíram na região central e em alguns bairros da cidade mas não ocasionaram maiores transtornos.

Pato Branco também foi registrado quedas de árvores e galhos no centro e a cobertura de um posto de combustíveis na entrada da cidade (foto) assim como a queda de muitas árvores na PR 180 trecho que liga Francisco Beltrão a Dois Vizinhos. Em Clevelândia, segundo o Simepar os ventos chegaram a alcançar 120 km/h.  Apesar dos estragos não foram registrados maiores problemas na região sudoeste.