Menu
Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
23 de janeiro de 2021
Rádios

Aprovada representação contra prefeito de Palmas por falta de respostas aos vereadores

Cotidiano

por Guilherme Zimermann

sessao_palmas25052020
Publicidade

O vereador Izaias Mikilita(Republicanos) encaminhou representação contra o prefeito de Palmas, “por infrações Político-Administrativas perante ao Poder Legislativo”. A denúncia foi lida durante a Sessão Ordinária do Poder Legislativo nesta segunda-feira (25).

De acordo com o vereador, o prefeito municipal “não cumpre com seus deveres legais de resposta” à Câmara, pontuando que dezenas de requerimentos e indicações pelos parlamentares desde o início da legislatura, não foram respondidos. “Dos 274 requerimentos aprovados pelos vereadores, apenas 133 foram respondidos”, afirmou Mikilita.

Para ele, as atitudes do chefe do Poder Executivo, “afrontam o Estado Democrático de Direito e os cidadãos que elegeram os vereadores para fiscalizar a prefeitura municipal”.

Durante sua explanação, o vereador salientou que a falta de respostas ocorre desde o inicio da legislatura. Questionado sobre apresentar a denúncia apenas em 2020, ano de eleições, afirmou que a prática do Executivo se intensificou nos últimos meses, por isso tomou a atitude somente agora. Ouça a entrevista no player abaixo:

Publicidade
Publicidade

 

Conforme o Regimento Interno da Câmara Municipal, após a leitura da denúncia, o presidente da Casa, vereador Marcos Gomes, consultou os demais sobre o recebimento. Apenas os vereadores Jucélia Paim e Paulo Bannake foram contrários ao recebimento da denúncia pela Casa, o que foi aprovado pela maioria.

Após a aprovação, foi constituída a Comissão Processante, que irá analisar a denúncia. A comissão será composta pelos vereadores Silvana Ribas (MDB), Rafael Bosco (PSC) e Luiz Guesser (PSC).

Publicidade
Publicidade

Seguindo o Regimento, instalada a comissão, o denunciado, no caso o prefeito municipal, será notificado em cinco dias, com a remessa de cópia da denúncia e documentos que a instruírem.

No prazo de 10 dias da notificação, o denunciado poderá apresentar defesa prévia, indicando as provas que pretende produzir e o rol de, no máximo, cinco testemunhas.

Decorrido o prazo de defesa prévia, a Comissão Processante emitirá parecer com cinco dias, opinando pelo prosseguimento ou arquivamento da denúncia.

Se o parecer for pelo arquivamento, será submetido à deliberação por maioria de votos do Plenário. Decidindo o Plenário, ou opinando a comissão, pelo prosseguimento, passará o processo imediatamente à fase de instrução.

Publicidade
Publicidade

Na instrução, a Comissão Processante fará as diligências necessárias, ouvirá as testemunhas e examinará as demais provas produzidas. Concluída a instrução, será aberta vista do processo ao denunciado para que apresente razões escritas, após o que a comissão emitirá parecer final pela procedência ou improcedência da denúncia, encaminhando os autos à Mesa.

De posse dos autos, o Presidente da Câmara convocará sessão especial de julgamento, onde o parecer final da Comissão Processante será lido integralmente. Os vereadores presentes poderão usar da palavra. O denunciado, ou seu procurador, terá até duas horas para produzir defesa oral na Sessão.

Concluída a defesa, segue-se para votação aberta. Serão realizadas votações de acordo com as infrações articuladas na denúncia. Se houver condenação, a Mesa Diretora baixará a resolução de aplicação da penalidade cabível, a qual será submetida a um segundo turno de discussão e votação.

Publicidade