O valor médio de um hectare de terra destinado ao agronegócio mais que triplicou em dez anos no município de Palmas, sul do Paraná. Entre 2005 e 2015, a terra mecanizada teve valorização de 360%. Como detém as terras mais em conta de toda a região, também se apresenta como atrativo para novos investimentos no setor agropecuário.

Conforme levantamento do Departamento de Economia Rural (DERAL) da Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Paraná, o valor saltou de R$ 4.200 para R$ 19 mil, o hectare no ano passado. Para as terras mecanizáveis o aumento foi de 332%. Até mesmo áreas não mecanizáveis mais que dobraram de valor na última década, passando de R$ 2.500 a R$ 6.820,00 o hectare. Apesar do expressivo aumento, Palmas e Coronel Domingos Soares são os municípios que detém os menores preços em relação aos demais da região Sudoeste do Paraná.

Conforme o mesmo levantamento, o valor de áreas já prontas para agricultura em Pato Branco tem preço médio de R$ 37.500 o hectare; Francisco Beltrão, R$ 34.000,00; Dois Vizinhos, R$ 38.000; Clevelândia, R$ 30.000; Coronel Vivida, R$ 28.000; Chopinzinho, R$ 27.000; e Mangueirinha, 27.305.

Áreas mecanizadas são aquelas destocadas, sem restrições para o preparo do solo e plantio, com topografia que permitem operações com máquinas e implementos agrícolas motorizados, As mecanizáveis, são as que permitem utilização de maquinários, mas que estão cobertas de vegetação, (mata ou capoeira), resto de desmatamento (tocos, troncos e galhos) e várzea.

Terras não mecanizável tem relevo e/ou profundidade do solo desfavoráveis à execução de operações ou práticas agrícolas com máquinas e implementos motorizados,  permitindo o plantio manual ou a tração animal. Nesta característica estão também as reservas legais que só poderão sofrer algum tipo de desmatamento e/ou corte, mediante um plano de Manejo Sustentável, aprovado pelos órgãos de fiscalização ambiental.

São enquadradas como não aproveitáveis para agropecuária  as terras constituídas de solos pedregosos, muito rasos ou inundáveis periodicamente, despenhadeiro, pirambeira, penhascos, com relevo íngreme ou reserva de Preservação Podem servir apenas como abrigo e proteção de fauna e flora silvestre, como ambiente para recreação ou para fins de armazenamento de água.

De acordo com a metodologia do DERAL, o Valor de Terras Agrícolas são referenciais que compreendem um valor médio geral para o município, não tendo como base uma determinada região. Não devem ser como valor mínimo ou  máximo, tendo em vista que cada propriedade rural tem suas características próprias quanto ao tamanho, localização, vias de acesso, topografia, hidrografia, tipo de solo, capacidade de uso, grau de mecanização, dentre entre outros fatores.