O governador Beto Richa participou nesta quarta-feira (29/08), em Pato Branco, do lançamento da pedra fundamental da primeira usina de resina à base de milho da América do Sul. Com investimento total de R$ 100 milhões, o empreendimento, beneficiado pelo programa Paraná Competitivo, vai gerar cerca de 220 novos empregos diretos na região Sudoeste do Paraná.

A usina produzirá sacolas biodegradáveis e será construída pela empresa paranaense Sementes Guerra, em parceria com sua sócia francesa Limagrain. As negociações para a instalação da indústria começaram em 2011, durante viagem de comitiva paranaense à Europa. O próprio governador visitou a sede da empresa em Clermond-Ferrand, na França, onde reforçou o interesse do Estado no investimento.
O empreendimento atende ao plano de descentralização industrial e desenvolvimento do interior do Paraná, fortalecendo o potencial de cada região e agregando valor ao que cada cidade do estado produz. O início da produção do polímero biodegradável – Biolice, está previsto para julho de 2013.
O governador Beto Richa destacou a importância da parceria entre a empresa paranaense e a francesa com apoio de incentivos fiscais do programa Paraná Competitivo. \”A indústria de plástico biodegradável atrairá novos investimentos para a região, gerando empregos e impacto positivo no agronegócio paranaense, além de propiciar a transferência da tecnologia utilizada na produção das sacolas\” afirmou Richa.
O presidente da Limagrain, Manuel Rubió Pallé, disse que o apoio do governo do Estado foi muito importante para viabilizar o investimento. \”Quando começamos a sondar as possibilidades no Brasil, olhamos três outros estados, mas o Paraná confirmou ser a melhor opção\”, disse.
\”O programa Paraná Competitivo foi o grande diferencial para a atração dessa indústria para um município que, a mais de 500 quilômetros do porto de Paranaguá, sofre para atrair empresas do setor\”, disse o diretor executivo da Sementes Guerra, Ricardo Guerra. \”O governo avalizou o projeto e demonstrou seu empenho em fomentar a industrialização do interior\”.
O secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, disse que o empreendimento representa uma nova oportunidade de agregação de valor ao milho cultivado no Paraná – principal produtor nacional do grão. \”É um estímulo para quem produz o milho e para a economia de modo geral. Todos ganham: o governo, o município, a região, as cooperativas, os produtores\”, afirmou.