Produtores de alimentos de Coronel Domingos Soares serão beneficiados com a regulamentação do  Serviço de Inspeção Municipal(SIM). Com isso, os fabricantes locais de salames, queijos, mel, geleias, compotas, entre outros, poderão comercializar livremente seus produtos e com isso aumentar suas rendas. A Lei foi aprovada e publicada ainda no fim de 2016, porém estava sem efeito, mantendo muitos produtores na clandestinidade.

Durante reunião com a prefeita Maria Antonieta de Araújo Almeida e sua equipe, os produtores tiveram esclarecidas uma série de dúvidas quando a nova legislação local. A diretora do Departamento de Administração, Andrea Reis Taques, apresentou o teor do decreto que regulamenta a referida lei. As explanações sobre a inspeção dos produtos e  sobre condições, adequação dos locais de produção, higiene, normas,  foram feitas pelo médico veterinário, Kleber Bordignon, da Vigilância Sanitária. “Os produtores tinham vontade de iniciar a produção de mel, de salame e muitas vezes ficavam limitados a não existência dessa legislação para poder vender. Esse serviço vai dar a chancela para eles conseguirem vender esses produtos com selo legalizando a produção”, explicou Bordignon.

O Assessor Jurídico da Prefeitura, Alexandre da Silva, informou que havendo o selo atestando a inspeção e qualidade dos produtos no âmbito municipal, nada impede a sua comercialização  em outros municípios do Estado, contanto que estes não tenham legislações contrárias. Recomendou que, logo após a obtenção do selo municipal, os produtores se organizem para buscar o selo estadual, que autoriza a venda sem restrição alguma para qualquer município paranaense.

Bordignon frisou que para ter o selo é preciso passar por alguns critérios. O serviço envolve o Departamento Municipal de Agricultura, que faz a inspeção e liberação das plantas da produção, e após a legalização, a Vigilância Sanitária atua nos mercados fazendo a fiscalização em nível de comércio. Ao ser constatado comércio ilegal, os produtos serão automaticamente apreendidos e, após análise de qualidade, poderão ser doados a entidades públicas.