A abertura da Via Tecnológica do Leite, na noite de terça-feira, também foi uma oportunidade de reconhecer os avanços que a produção de leite teve nos últimos anos e destacar o potencial da região para agora melhorar a qualidade produtiva. O chefe do escritório regional da Emater, Orley Lopes, recordou outras culturas que predominaram nos chamados ciclos econômicos – como o da madeira, de feijão e de suínos – e chamou a atenção para a necessidade de melhorar a produtividade dos animais.

“Ao longo dos últimos 15 anos, tivemos a aquisição de vacas, melhoria no manejo, aumento da produção, qualificação do produtor e forte apoio institucional, mas não podemos ficar satisfeitos com os resultados: a nossa produtividade por vaca ainda é relativamente baixa, mas temos potencial para aumentá-la”, disse.

Em sete anos, a produção leiteira do Sudoeste passou de 540 milhões de litros/ano para quase 1 bilhão de litros/ano. Atualmente, com investimentos em genética, sanidade e alimentação, a média de produtividade é de 10,9 litros de leite/dia por animal.

A abertura da Via Tecnológica aconteceu no auditório do Centro de Eventos e contou com a presença de autoridades políticas, lideranças da área leiteira, empresários e produtores. Durante a cerimônia, o prefeito Antonio Cantelmo Neto (PMDB) lembrou que a região é a maior produtora de leite do estado e que com mais investimentos em inovação é possível melhorar a qualidade da produção. “A nossa produção supre uma demanda de mercado que é crescente, porém, com mais investimentos em inovação, podemos tornar o nosso leite mais competitivo e melhorar a vida dos produtores que dele dependem”, afirmou.

A Via Tecnológica do Leite prossegue até sexta-feira com exposição, julgamento e ranqueamento de gado, palestras, seminários, exposições de implementos e estações tecnológicas. O evento é promovido pela Prefeitura, Seab, Emater, Governo do Estado, Cresol e Rural Leite e tem como parceiros o Senar, Faep, Sindicato Rural, Sociedade Rural, Colégio Agrícola, Núcleo dos Médicos Veterinários, Aeafb, Acefb, Jersey Paraná e Associação Paranaense dos Criadores de Bovinos Holandeses. O patrocínio máster é da Coasul, os oficiais do Banco do Brasil, Governo Federal e Cresol, com apoio do Sicredi.