O portal milkpoint.com.br, especializado em notícias do mercado leiteiro, destacou na terça-feira, 23 de julho, a manchete “China abre mercado para lácteos brasileiros”. De acordo com o Milkpoint, o país asiático abriu mercado para os produtos lácteos brasileiros, habilitando 24 estabelecimentos para exportação de produtos como leite em pó e queijos. O anúncio foi feito pela ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Ela destacou que a abertura do mercado irá impulsionar a cadeia produtiva do leite. “Acho que é uma notícia excepcional para o setor leiteiro que passa por um momento muito difícil, sem esperança. E isso traz esperança para a indústria de leite”, comemorou.

Tarsizio Carlos Bonetti, presidente da Associação Empresarial de Francisco Beltrão (Acefb), acredita que o anúncio traz uma perspectiva muito boa para Beltrão e região Sudoeste do Paraná. Segundo o empresário, não faz muito tempo que o Brasil era um importador de produtos lácteos de outros países. “Só que o Brasil foi crescendo sua produção de leite e melhorando os processos produtivos. Hoje temos condições de nos tornarmos exportadores de derivados de leite”.

Contudo, o empresário observa que o Brasil precisa trabalhar em duas frentes: diminuir o custo da produção do leite e melhorar a qualidade do produto. “O leite brasileiro ainda é caro para o produtor produzir e caro para o consumidor final. Precisamos reduzir o custo de produção para que o produtor possa vender por um preço justo e também para que depois as indústrias possam vender para o mercado internacional. Mas creio que a cadeia do leite vai ganhar muito com isso”.

Doze anos de negociação

Geferson Pit, integrante do Núcleo dos Médicos Veterinários e Zootecnistas (Nuvetz) de Francisco Beltrão, lembra que as negociações com a China vinham sendo articuladas desde 2007. “Em maio de 2019 as negociações evoluíram. Os chineses importam na faixa de 800 mil toneladas de leite em pó todos os anos e produz cerca de 600 mil toneladas. Se o Brasil fosse vender toda a nossa produção para a China, ainda assim faltariam 200 mil toneladas”.

Pit comenta ainda que na semana passada a ministra da Agricultura, Tereza Cristina anunciou a regulamentação do Selo Arte, que possibilitará a venda interestadual de alimentos artesanais com foco nos lácteos. “E isso foi pouco divulgado”, destaca. Atualmente, há 1,2 milhão de pequenos produtores de leite no Brasil.

 

Da assessoria Acefb/Foto: Darce Almeida.