A Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) firmou uma parceira com a Basf, para a implantação de estações meteorológicas na região Sul do Brasil. No Paraná será instalada uma estação no município de Barracão, no extremo Sudoeste.

A iniciativa tem por objetivo ajudar, principalmente, os produtores de maçã da região a monitorar as baixas temperaturas e a ocorrência de chuvas, bem como obter informações sobre o melhor momento para realizar o tratamento fitossanitário, o controle de doenças e também a época ideal de início das pulverizações para quebra de dormência.

Segundo o engenheiro agrônomo e pesquisador em agrometeorologia da Epagri, Hamilton Justino Vieira, a empresa e a Basf já mantém parceiras em outros projetos de diversas culturas e a composição dessa rede de estações meteorológicas, se deu através da evolução na área de monitoramento e agroalertas dentro da Epagri.

Conforme Vieira,o projeto inicial é de 20 estações nas regiões produtoras de maçã dos três estados do Sul, sendo que 5 já estão instaladas. Informou que até a metade do mês de agosto, as 20 estações estarão em funcionamento. Destaca que produtores de outras culturas também poderão fazer uso dos dados obtidos através das estações. Conforme ele, a Epagri projeta lançar agroalertas para mais de 40 culturas, fazendo uso da rede que entrará em funcionamento.

Segundo Vieira, juntamente com a estação experimental de São Joaquim (SC), foi desenvolvido um modelo climático  sobre a ocorrência de doenças como a sarna da macieira, podridão amarga e cancro europeu. Destaca também que as estações terão análise de temperatura em tempo real, com a soma de horas e unidades de frio. Informou que somente nesse primeiro estágio de instalação das estações,estão sendo investidos mais de R$500 mil.

Na parceria, a Basf irá realizar o monitoramento das 20 estações meteorológicas e a Epagri será responsável pela montagem das estações e treinamento da equipe. O serviço poderá ser acessado por meio do site da Epagri e posteriormente, também no Portal Porteira, que está sendo desenvolvido pela Basf.