Waldyr Stumpf, da Embrapa, salientou modelo pioneiro implantando no Sudoeste. Foto de divulgação
  • Compartilhe no Facebook

Waldyr Stumpf, da Embrapa, salientou modelo pioneiro implantando no Sudoeste. Foto de divulgação

O Campus Palmas do IFPR integrou-se à rede de instituições de pesquisa e desenvolvimento de projetos da Embrapa, através da Unidade Mista de Pesquisa e Transferência de Tecnologia (UMIPTT)  instalada no Sudoeste do Paraná, na última sexta-feira (24), em Francisco Beltrão.

A unidade viabilizou-se a partir de acordo de cooperação formalizado entre a EMBRAPA, a UTFPR Campus de Dois Vizinhos, Francisco Beltrão e Pato Branco e IAPAR, através de bases técnicas, científicas, materiais, operacionais, recursos humanos e de infraestrutura. Na sexta-feira aderiram à unidade a AMSOP, Instituto EMATER, UFFS Campus Realeza, Infocos/CRESOL, UNICAFES, COOPAFI, ASSESOAR, ACEFB e FETRAF e o Campus Palmas do IFPR.

Para o Diretor de Ensino, Pesquisa e Extensão, Prof. Frank Lagos, essa adesão é fundamental, principalmente, para o fortalecimento do curso de Engenharia Agronômica, que está mais diretamente ligado à pesquisa agropecuária. Outros cursos ofertados em Palmas terão a oportunidade se inserir em todo o projeto, como Administração e Sistema de Informação, Técnico em Alimentos, dentre outros, em função da diversidade de trabalhos desenvolvidos pela EMBRAPA em suas várias unidades pelo país.

Explicou que com a adesão todas as pesquisas já desenvolvidas pela Embrapa  em todo o Brasil poderão ser acessadas por alunos e professores do IFPR que, por sua vez, também poderão compartilhar e integrar seus  projetos e estudos com as demais instituições da região. “A Embrapa é referência mundial em pesquisa agropecuária e essa adesão coloca o IFPR nesse circuito”, disse Lagos.

Na região, a UMIPTT desenvolverá a pesquisa para desenvolvimento nas áreas de leite, hortifrutigranjeiros, sucessão familiar e agroindústrias em nível regional.