A safra de grãos 2018/2019 no Paraná será 6% maior que a anterior, chegando a 37,6 milhões de toneladas, segundo relatório de maio do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, divulgado na terça-feira (18).

O resultado deve ser impulsionado pela produção de milho. Conforme o Deral, o avanço da colheita, especialmente do milho safrinha, ultrapassa 20% da área de 2,24 milhões de hectares e mostra ganho de produtividade.

A safra paranaense tem boas expectativas para a produção de milho, principalmente na região oeste. “A produção de milho de segunda safra pode chegar a 13,5 milhões de toneladas, cerca de 400 mil a mais do previsto na estimativa anterior”, diz o chefe do Deral, Salatiel Turra.

Outro indicador, segundo ele, é a produção do feijão de segunda safra, que deve ser 30% maior do que no ano passado e está com a colheita quase encerrada, em 96%. Os preços, conforme o departamento, voltaram aos padrões normais para o consumidor.

O relatório aponta que na reavaliação das estimativas, com a colheita da soja encerrada, confirmou-se uma redução de 15% na produção, decorrente do clima adverso. A perda, segundo o Deral, é de mais de 3,2 milhões de toneladas entre a estimativa inicial e a final.

Quanto ao trigo, o relatório diz ter confirmado redução de área de 9%.

Na avaliação do secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, apesar de alguns prejuízos, o estado terá uma safra significativa.

“Na estimativa total de produção de grãos, são mais de 2,2 milhões de toneladas na comparação com o ano passado, o que mantém o Paraná como vice-líder na produção nacional”, disse.

Segundo ele, esse dado foi reforçado também pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que divulgou a estimativa da safra brasileira no dia 11 deste mês, indicando uma possível segunda safra histórica, com melhor produtividade também em outros estados.

Informações: Deral