Secretários da Agricultura do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, criaram nesta semana, em Chapecó, Oeste catarinense, o Comitê Interestadual de Sanidade da Pomicultura (Cisp). O objetivo do órgão é propor medidas conjuntas para assegurar ações de vigilância e defesa de pragas e doenças quarentenárias que afetam a pomicultura.  A principal preocupação é erradicar o cancro europeu e manter a região livre da Cydia pomonella.

O Estado de Santa Catarina criou uma força tarefa para erradicar o cancro europeu em seus pomares e a intenção é expandir esse trabalho para todo o sul do país. A Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) deslocou técnicos para auxiliarem no combate à doença nos municípios de São Joaquim, Urubici, Urupema, Bom Jardim da Serra, Bom Retiro e Painel. Outra medida é a conscientização dos produtores, que será feita através de palestras. Segundo levantamento da Cidasc, até 2016, a doença estava presente em 117 pomares catarinenses, distribuídos em 10 municípios. A maioria dos casos está nas regiões de São Joaquim e Água Doce, na divisa com Palmas, Sul do Paraná, onde os esforços estão mais concentrados. No município paranaense, o maior produtor de maçã do Estado, a incidência do cancro ainda é pequena, com amplo trabalho de controle da praga.

No último mês de setembro, em audiência pública na Serra catarinense, representantes do setor macieiro manifestaram a preocupação com a saúde dos pomares da região Sul, que enfrentam sérios problemas com o Cancro e a falta de técnicos habilitados para o auxílio no combate à doença traz ainda mais prejuízos para os produtores. Segundo levantamento da Epagri (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina) as despesas para lidar com a doença representam 15% dos custos de produção da maçã. Caso não seja devidamente combatido, o cancro pode comprometer 10% de um pomar no período de um ano.

A parceria entre os estados do Sul, através do Comitê Interestadual de Sanidade,  pode ser estendida também para outras frutas, com o objetivo de garantir a excelência sanitária na produção vegetal.