Pensar o mercado madeireiro à longo prazo, discutir novos potenciais e perspectivas tanto para a madeira como para a erva mate. Esses são alguns dos pontos em discussão no I Seminário Regional da Madeira e da Erva Mate, que está ocorrendo no auditório Professor Danilo Bordignon (Salão Nobre) do CPEA, em Palmas, Sul do Paraná.

O evento é organizado pelo Movimento Palmas Desenvolvida, com apoio da prefeitura municipal, Federação das Indústrias do Paraná (FIEP), Sindicato da Indústria Madeireira (SINDIPAL), Associação Comercial (ACIPA), Associação do Senhor Bom Jesus (ASBJC), Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente (ABIMCI) e Rádio Club.

Na abertura, o coordenador do Movimento Palmas Desenvolvida, Ademílson Mensor, parabenizou os presentes pelo interesse em discutir o futuro de setores essenciais para a região, à exemplo da madeira. Salientou que a microrregião de Palmas precisa de incentivos, uma vez mesmo sendo os precursores do desenvolvimento do Sudoeste, Palmas, Coronel Domingos Soares, Mangueirinha, Honório Serpa e Clevelândia ocupam as últimas colocações em rankings de desenvolvimento social e econômico, reflexo do esquecimento dos governos estadual e federal.

O presidente do Instituto de Florestas do Paraná, Benno Henrique Doetzer, na ocasião também representando o secretário da agricultura do Estado, Norberto Ortigara, reconheceu a importância da região no Desenvolvimento do Estado por sua tradição no setor da madeira e da erva mate e que esses setores ainda representam uma parcela significativa da economia estadual.

O presidente do SINDIPAL – Evandro Marini destacou o empenho e o sucesso alcançado já na primeira edição do evento e enfatiza a relevância da discussão, uma vez que a madeira e a erva mate são vocações de Palmas. Além disso, citou a necessidade das discussões, para definir um futuro para o setor, garantindo emprego e renda e, consequentemente, qualidade de vida para a população palmense.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente, José Carlos Januário, discorreu sobre os números da indústria madeireira palmense que, nos últimos três anos, representou 28% de toda a madeira compensada exportada no Brasil. Segundo Januário, Palmas é sede da maior produtora de compensados de pinus do país, porém, a maior parte de sua matéria prima é de fora, o que torna Palmas uma grande prestadora de mão de obra, do que uma produtora de árvores. O presidente da Acipa, Antonio Plates de Oliveira, enalteceu o trabalho de todos os envolvidos e colocou a Associação Comercial à disposição de todas as iniciativas que busquem o desenvolvimento do município.

O prefeito Hilário Andraschko destacou a importância do Movimento Palmas Desenvolvida em torno das discussões para o desenvolvimento regional. Avaliou que Palmas tem um potencial muito grande, que deve ser aproveitado para os frutos serem colhidos num futuro muito próximo.

O Seminário contou ainda com a presença do presidente da Federação da Indústrias do Paraná (FIEP), Edson Campagnolo, que destacou a iniciativa do Movimento Palmas Desenvolvida em discutir, numa junção de todos os segmentos da sociedade, o progresso e o crescimento do município, em diversos eixos.

Salientou a necessidade de se discutir novas possibilidades, tanto para a indústria da madeira, como para a erva mate que, segundo ele, oferece uma gama de produtos que vão muito além do conhecido chimarrão.

Ainda no período da manhã, o superindente executivo da ABIMCI, Paulo Roberto Pupo, apresentou um levantamento de dados do setor madeireiro de Palmas. Na sequência, o professor Júlio Arce, da Universidade Federal do Paraná (UFPR) abordou a temática “A viabilidade de plantações florestais dentro das técnicas de manejo”, seguido por Carlos França, da ARBOGEN, que discorreu sobre a “Evolução Genética do Pinus no Brasil”.

Durante a tarde, o diretor executivo da IBRAMATE, Roberto Magnos Ferron, discute com os participantes sobre “Mercado, cenário atual e futuro da erva mate”, assunto que segue em debate com o Dr. Delmar Santin, engenheiro florestal, que fala sobre “Nutrição e manejo da erva mate, visando produtividade e a sustentabilidade da cultura”. Além disso, serão apresentadas aos participantes linhas de crédito para financiamentos exclusivas para o setor.

Você pode acompanhar o Seminário ao vivo, através da RBJ TV: