• Compartilhe no Facebook

O diretor-presidente, Natalino Avance de Souza, e o diretor de pesquisa do Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR), Rafael Fuentes, garantiram que a Estação Experimental do órgão, instalada em Palmas, Sul do Estado, não será desativada. A manifestação ocorreu durante reunião no Campus do Instituto Federal do Paraná (IFPR), na tarde de terça-feira (23), onde estavam presentes representantes do Poder Executivo municipal, da Associação Brasileira dos Produtores de Maçã (ABPM), do Sindicato Rural, da Associação Brasileira dos Criadores de Caracu (ABCCaracu) e do Sindicato da Madeira.

A possibilidade de fechamento da unidade palmense foi manifestada em reunião gerencial do IAPAR, no último dia 10, em Londrina, no Norte do Estado. O governo estadual tem como proposta a modernização do SEAGRI (Sistema Estadual de Agricultura), com o Instituto Agronômico incorporando a Emater (Empresa Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural), a Codapar (Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná) e o CPRA (Centro Paranaense de Referência em Agroecologia).

  • Compartilhe no Facebook

Durante a reunião em Londrina, Fuentes explicou que o número de áreas e programas de pesquisa do instituto serão rediscutidos, com a redução de estações experimentais. “Existe essa ideia, sim. Não é uma coisa nova, algumas delas já são candidatas a desativação há mais de oito anos. Faltou decisão gerencial e administrativa para que isso ocorresse. Num plano inicial nós estamos com sinal verde para desativar (as estações de) Ibiporã, Joaquim Távora, Umuarama e Palmas”, disse naquela ocasião.

No encontro realizado em Palmas nesta semana, foram expostos pelos representantes do município, os benefícios da manutenção da unidade e também discutidas parcerias para que a haja um melhor aproveitamento da estação.

  • Compartilhe no Facebook

Ressaltou Fuentes, que a intenção da diretoria do IAPAR é promover um debate com a sociedade, para decidir os rumos da instituição. Reconheceu que existe o plano de unificação da estrutura agropecuária do Estado e racionalização dos gastos. Porém, a medida não deverá paralisar o andamento dos projetos de pesquisa na área de fruticultura, ponto principal da atuação da Estação Experimental de Palmas.

  • Compartilhe no Facebook

Por sua vez, o diretor-presidente do IAPAR, Natalino Avance de Souza, foi categórico ao afirmar que a estação de Palmas não será fechada. “A unidade de Palmas não vai fechar! Estamos discutindo com a sociedade formas de tornar essa unidade mais útil e como ela pode oferecer soluções para o que o setor agropecuário da região precisa”, afirmou, salientando, entretanto, que a permanência das atividades depende de parcerias, como com a prefeitura municipal e IFPR. “Existe uma disposição nas instituições de fazer planejamento integrado, discutir prioridades. Então não tem porque termos um projeto de fechar a unidade. Acho que ela é útil, vai continuar sendo, agora nós vamos trabalhar em parceria”, considerou.

  • Compartilhe no Facebook

O prefeito de Palmas, Kosmos Nicolaou, demonstrou otimismo com os resultados da reunião, destacando que o município irá estudar as formas com que poderá integrar a parceria com o Instituto Agronômico e demais entidades. “Nós somos o maior produtor de maçã do Estado, temos a estação do IAPAR, temos uma unidade armazenadora da Codapar, ou seja, temos tudo aqui. Nós não vamos nos furtar a nada, seremos parceiros e a unidade não será fechada”, enfatizou.

  • Compartilhe no Facebook

O diretor do Campus Palmas do Instituto Federal do Paraná, Roberto Bianchi, manifestou a a disposição da instituição em firmar parcerias com as demais entidades, como forma de ampliar a área de atuação de suas pesquisas e contribuir com a comunidade palmense.

  • Compartilhe no Facebook

Articulador do encontro entre a diretoria do IAPAR e as entidades palmense, o presidente da ABCCaracu, Kiko Pagliosa, avaliou a reunião como proveitosa, servindo como impulso para a restruturação da Estação Experimental e ampliação da sua capacidade na área da pesquisa, inclusive com possibilidade de explorar outros campos, além da fruticultura.

  • Compartilhe no Facebook

O resultado da reunião também foi comemorado pelo diretor técnico da ABPM, Ivanir Dalanhol, que aponta para a revitalização da unidade a partir do encontro, acenando também para a exploração de pesquisas em novos produtos, como pêras, pêssegos, nectarinas e outras frutas de clima temperado, pensando na diversificação da produção palmense e no aproveitamento dos nichos de mercado da fruticultura.

Ao final da reunião, foi acordado entre as instituições e entidades presentes, que será montado um grupo de trabalho, que será responsável pela formatação da parceria para a manutenção da Estação Experimental do IAPAR de Palmas.