Na tarde de quarta-feira (20) aconteceu na cidade de Sulina, sudoeste do Paraná, na propriedade do agricultor Sinivaldo de Abreu, um Dia de Campo sobre a Produção de Leite a Pasto.

O evento contou com a participação de mais de 100 agricultores das diversas comunidades do município que estão interessados nesse sistema de produção de leite, que é baseado em alguns princípios básicos, como pastagem perene de qualidade, bem manejada, com acesso à sombra e água à vontade aos animais, e controle econômico da atividade leiteira.

De acordo com os técnicos, o projeto se iniciou em 2013, a partir do Programa Leite Sudoeste, com sete propriedades em Sulina. Essas propriedades passaram por um processo de conversão, afinal tinham um sistema de produção baseado no uso de pastagens anuais e de silagem de milho e não faziam o acompanhamento econômico da atividade. Ao longo dos últimos cinco anos, foram sendo implantadas pastagens perenes de qualidade, que no caso das propriedades visitadas são Tifton 85, Giggs e capim pioneiro.

Essas pastagens são manejadas em sistema de piquetes, sendo oferecido um piquete por dia. O solo é corrigido sempre que necessário e adubado frequentemente após cada pastejo. Além disso, foram providenciados acessos à sombra e água à vontade aos animais. Os rebanhos foram adequados em relação ao número de animais por categoria e vem sendo feito o acompanhamento econômico da atividade a partir de anotações de receitas, despesas, produção de leite, entre outras informações que são simples de serem obtidas, mas muitas vezes não se tem o hábito de anotá-las.

Essas informações são fundamentais, pois apontam pontos bons e pontos a serem melhorados, como por exemplo, o grande volume de leite que vinha sendo usado na criação de bezerras e o alto custo de criação de uma novilha até o parto, o que fez com que os produtores passassem a criar apenas o suficiente para renovação do próprio plantel.

Nos últimos quatro anos, nas Unidades de Referência, o volume de produção aumentou 26%, o custo de produção aumentou 2%, e o lucro médio das famílias aumentou em 87%, comprovando a eficiência da produção de leite a pasto.

A grande participação por parte dos agricultores demonstra o interesse nesse sistema de produção de leite de baixo custo e alta rentabilidade que vem sendo proposto pelos técnicos da Secretaria Municipal de Agricultura, Emater e irradiado a partir de Unidades de Referência do Programa Leite Sudoeste, que comprovam bons resultados.

Fonte e foto: Assessoria da Prefeitura de Sulina.