Pesquisadores chilenos anunciaram a descoberta de uma espécie de fungo que ataca maçãs e frutas de caroço. O Phytophthora syringae foi encontrado causando podridões em maçãs armazenadas das Jonagold e Pink Lady. De acordo com os pesquisadores, as frutas apresentavam descolorações castanhas e polpa com textura firme ou esponjosa e pericarpo mais escuro do que a zona de infecção. O fungo foi isolado e mantido em meio-de-cultura.

Com base em análise morfológica das hifas e esporos, a identidade foi determinada como Phytophthora syringae, identificação confirmada, posteriormente, com base em métodos moleculares e a patogenecidade foi checada em testes de inoculação de frutos. Mesmo com uma prevalência baixa, a descoberta causa preocupações aos produtores brasileiros visto que o Chile é um dos maiores exportadores mundiais de de maçãs e o Brasil é um dos países de destino e os requisitos fitossanitários não incluem ainda medidas relacionadas a este fungo.

No ano passado, o Governo brasileiro regulamentou requisitos fitossanitários para importação de pêras da Holanda que incluem medidas para evitar a entrada dessa espécie. Além de maçãs, este fungo ataca diversas espécies de frutas como cítricos e frutas de caroço, ou seja, há ampla oferta de plantas hospedeiras no Brasil. Segundo dados do Observatório Pragas Sem Fronteiras, mais de metade dos fungos que foram introduzidos no Chile também foram introduzidos no Brasil. A cultura da maçã no país já enfrenta diversos problemas com fungos de outros países, como a sarna-da-macieira e o cancro-europeu.