Uma ação envolvendo mais de 30 comunidades, entre assentamentos e acampamentos do MST, áreas de posseiros e povos faxinalenses Agricultores assentados, acampados, posseiros e faxinalenses do centro-sul do Paraná, irá realizar a doação de aproximadamente 50 toneladas de alimentos para famílias moradoras de Guarapuava e Pinhão, neste sábado (30). A ação é em solidariedade às famílias que já enfrentam a falta de comida neste período de pandemia do Conoravírus.

A organização vem acontecendo há duas semanas, e a coleta dos alimentos será até esta sexta-feira (29). A diversidade das doações vai desde o feijão e arroz, até o pinhão e a erva-mate, típicos da cultura do sul do Brasil. Também será doado quirera, fubá, farinha de milho, batata-doce, mandioca, moranga, abóbora, derivados de leite, hortaliças, batata, limão, laranja, banana, sabão caseiro.

Entre as comunidades que irão doar alimentos está o Alecrim, de Pinhão. A localidade ficou conhecida no Paraná e no Brasil após a repercussão da ação de despejo ocorrido em 1º de dezembro de 2017. Naquele dia, máquinas destruíram casas, um posto de saúde, uma igreja, uma padaria comunitária e outras estruturas comunitárias construídas ao longo de 23 anos de ocupação da terra. No dia 15 de dezembro do mesmo ano dos fatos, as famílias decidiram voltar a ocupar a área e iniciaram a reconstrução da comunidade Alecrim. Em fevereiro de 2018, a Justiça determinou a suspensão da reintegração de posse.

Doações realizadas pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), está em campanha permanente de solidariedade em todo o Brasil, e já doou mais de 1.200 toneladas de alimentos. No Paraná, 28 acampamentos e 36 assentamentos doaram cerca de 100 toneladas de comida desde o início da pandemia. Também foram produzidas 2.200 marmitas agroecológicas e 400 máscaras de tecido.