A colheita da soja já atinge um percentual de 90% das lavouras plantadas nos quinze municípios do Núcleo Regional da Secretaria da Agricultura e Abastecimento de Pato Branco. Na microrregião de Palmas o volume chega aos 65%. Os dados constam do levantamento diário do Departamento de Economia Rural da Seab.

Conforme o engenheiro agrônomo, Josemar Banach Fonseca, o atraso na colheita do trigo em 2015, interferiu no plantio da soja, que nesta época já deveria estar praticamente toda colhida na região. Em relação as lavouras de Coronel Domingos Soares Palmas e parte do território de Mangueirinha, que naturalmente tem o ciclo de produção tardio, a finalização da colheita deverá ocorrer até o dia 20 de abril.

Em relação a produtividade, a cultura deverá se manter dentro dos patamares projetados para a região. “O que se observa é que a média tem ficado em 170 sacas por alqueire, sendo que nas lavouras em que se aplicou agricultura de precisão, os produtores registram até 200 sacas”, disse ele. Por suas condições climáticas específicas as lavouras da região de Palmas, estão sendo colhidas, em média 130 sacas por alqueire.

Para ele se não houvesse ocorrido alguns problemas climáticos a produtividade seria ainda maior. Além do acentuado volume de chuva, a região teve vários dias com baixa luminosidade, o que interferiu no desenvolvimento da planta. “Mesmo assim teremos uma safra de soja normal na região”, avaliou. Projeção inicial do DERAL é de uma safra que deverá fica na casa de 1 milhão de toneladas.
MILHO
Em relação ao milho, 95% das áreas já foram colhidas em nível regional. Especificamente na região de Palmas, o percentual alcança a 60% das lavouras. Projeção preliminar do Deral, aponta uma queda entre 8 e 9% neste ano.