Em dois anos, o faturamento da produção de batata de Palmas, Sul do Paraná, cresceu mais de 90%. Outro setor tradicional da agricultura do município, o da maçã, também apresentou crescimento significativo, mais de 37%, o que anima os produtores para a safra 2016/2017, que inicia o seu período de colheita na próxima semana.

Conforme dados do Deral (Departamento de Economia Rural) da Secretaria da Agricultura do Estado, em 2013, as lavouras de Palmas produziram 31 mil toneladas de batatas, gerando um faturamento bruto de R$ 32,1 milhões. No último relatório divulgado pelo departamento, referente ao ano de 2015, a produção subiu para 41,9 mil toneladas, gerando mais de R$ 61,6 milhões. De acordo com fontes ligadas ao setor, a previsão é de que o faturamento se aproxime dos R$ 100 milhões na safra 2017.

Foto:Guilherme Zimermann/Arquivo RBJ
  • Compartilhe no Facebook

Foto:Guilherme Zimermann/Arquivo RBJ

Com estimativa de colher 14 mil toneladas na safra que inicia já no próximo mês, a maçã, mesmo com queda na produção, contou com os bons preços para ter crescimento nos lucros. Em 2013, os pomicultores colheram 12,1 mil toneladas, o equivalente a R$ 15,4 milhões. Já em 2015, a safra foi de 11,8 mil, mas o Valor Bruto de Produção (VBP) subiu para R$ 21,2 milhões. Na próxima semana iniciam os trabalhos de colheita da variedade precoce Eva, passando para a Gala e encerrando o ciclo em maio com a Fuji e seus clones, o que gerará também, aproximadamente, 1 mil novos empregos nos pomares da região. De acordo com produtores e técnicos, as condições climáticas neste ano, com bastante frio, favoreceram o desenvolvimento das plantas e seu ciclo produtivo. Com a Eva espera-se chegar às duas mil toneladas. Para a Gala e Fuji a projeção é de 6 mil toneladas em cada variedade.

A soja também cresceu de maneira significativa entre 2013 e 2015 – mais de 30%. No primeiro ano, a cultura movimentou R$ 75,7 milhões com a produção de 72,5 mil toneladas. No ano passado, foram colhidas quase 100 mil toneladas e o faturamento subiu para R$ 98,5 milhões. Em nível de Estado, a estimativa de que encerrar a safra 2016/2017 com aumento de 11% na produção, chegando ao recorde de 18,3 milhões de toneladas.

Por outro lado, os preços baixos e a consequente redução na área plantada fizeram com que  o milho apresentasse queda de 22% em Palmas. Na safra 2013 foram produzidas 33,2 mil toneladas que movimentaram R$ 11,3 milhões. Já em 2015, com área reduzida, a produção foi de 25 mil toneladas e o faturamento de R$ 8,7 milhões. Com aumento na área destinada à cultura nessa safra e a elevação do preço do milho em 2016, a Secretaria da Agricultura estima que o Paraná deverá colher 13,5 milhões de toneladas na safrinha.