Os inadimplentes com o Programa Nacional de Crédito Fundiário ganharam nova oportunidade para renegociar suas dívidas e podem se beneficiar da redução na taxa de juros e alongamento dos prazos de financiamentos. Porém, o prazo de adesão às novas regras vai só até 28 de março.  No Paraná, dos 4.542 agricultores vinculados ao crédito fundiário, 1.518 estão com pagamentos em aberto e outros 404 aderiram à primeira versão da renegociação de dívidas apresentada no ano passado.

O secretário determinou esforço concentrado entre as equipes da Secretaria e Instituto Emater, que executam o programa, e solicitou o apoio da Federação dos Trabalhadores Rurais no Estado do Paraná (Fetaep), para conscientizar os inadimplentes para a importância de aderir ao novo plano de renegociação.  Desse total de inadimplentes a minoria é da região Sudoeste do Paraná, garantiu o Secretário de Políticas Agrárias da federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Paraná (Fetaep), Marcos Brambila. Ele concedeu entrevista à Onda Sul FM nesta quinta-feira (14).

 

A proposta de renegociação das dívidas do Programa Nacional de Crédito Fundiária foi aprovada pelo Conselho Monetário Nacional em reunião realizada em 4 de janeiro. A resolução possibilita a renegociação de todos os contratos inadimplentes até 31 de dezembro de 2012.

A dívida poderá ser renegociada com juros de 2% e o prazo de financiamento será alongado de acordo com o número de parcelas vencidas.    Para ter direito às novas condições, o beneficiário deverá fazer a adesão à renegociação nas agências do Banco do Brasil até 28 de março, impreterivelmente. Após essa formalização, o agricultor deve fazer a amortização para dar início efetivamente ao processo de renegociação. A nova regra reduziu o percentual de amortização de 20% para 5% sobre a última parcela não paga.