A unidade da Adapar (Agência de Defesa Agropecuária do Paraná) de Palmas, Sul do Estado, está alertando aos bovinocultores quanto aos prazos da campanha de vacinação contra a febre aftosa. Até o inicio desta semana, apenas 30% do rebanho alvo na área de abrangência da unidade foram imunizados.

Conforme a médica veterinária Bruna Amates, mais de 31,4 mil bovinos e bubalinos deverão ser vacinados contra a aftosa em Palmas e Coronel Domingos Soares, até o final deste mês. Nesta etapa, que segue até o dia 31, é obrigatória a vacinação dos animais com até dois anos de idade.

Outro ponto que os criadores devem ter atenção é sobre a dosagem da vacina, que foi reduzida para 2 ml (mililitros). Ela deverá ser aplicada via subcutânea e não no músculo, como ocorria, para evitar o surgimento de abcessos.

Esta será a última campanha de vacinação contra a aftosa no Paraná. No ano passado, o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizou auditorias necessárias para que seja encaminhado o pedido do Paraná à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). Os técnicos do Mapa avaliaram programas, estrutura, capacidades técnica, financeira e administrativa do serviço de vigilância da sanidade agropecuária paranaense.

De acordo com o Mapa, o serviço sanitário paranaense atende à todas as normas, estando em estágio avançado, comparado a outros estados brasileiros. Essa condição reforça o pleito do Estado de antecipar o cronograma para se tornar Zona Livre de Febre Aftosa Sem Vacinação em 2020, obtendo este reconhecimento junto à Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) em 2021.