O prejuízo na agricultura começa afetar com mais força o produtor. Devido a greve dos caminhoneiros, o setor agrícola está parado e sem saída. A cada dia os prejuízos com percas na produção leiteira, avícula e grãos aumentam, a dúvida que fica, é quem vai pagar por isso?

Em Chopinzinho, sudoeste do Paraná, as entidades ligadas a agricultura familiar se reuniram na manhã desta sexta-feira (27) para avaliar os prejuízos causados no decorrer desta semana.

Segundo dados preliminares, desde domingo (22) aproximadamente 90 mil litros de leite foram jogados fora por dia (R$ 337.500,00 de prejuízo em cinco dias com base a R$ 0,75 o preço pago por litro). O leite coletado nas poucas propriedades está sendo comercializado a R$ 0,30 o litro.

Na avicultura cerca de 500 mil frangos não foram abatidos nesta semana, falta ração e a produção dos aviários está comprometida. A colheita de grão também está em dúvida, pois os armazéns estão lotados e a safra não pode ser escoada para outros lugares.

Em nota as entidades destacam, “declarar total apoio à luta dos caminhoneiros e dos professores e suas reivindicações, mas ao mesmo tempo vem alertar o Comércio e a sociedade em geral de que nossos agricultores estão passando por graves dificuldades, além dos prejuízos já acumulados e que se agravam a cada momento e isso trará sérias consequências à sociedade em geral em termos financeiros pois os agricultores terão muitas dificuldades para honrar seus compromissos anteriormente assumidos em todo o comércio”.

Particiou da reunião o Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Sindicato Rural, Cooperativa de Leite da Agricultura Familiar (CLAF) Chopinzinho, Associação de Mulheres Rurais (AMR) Associação de Avicultores, Cresol Chopinzinho e Câmara de vereadores.

 

Quem vai pagar os danos?

Quem vai pagar os prejuízos é a dúvida que começa a surgir nos agricultores. Com a queda no preço do leite, financiamento para pagar e dentre outras dívidas, isso se tornou uma pegunta sem resposta.

Segundo um agricultor de Chopinzinho, o qual solicitou para não divulgar seu nome, “fica difícil falar em valores, mas é bastante. Na minha propriedade por exemplo tenho quase 200 mil aves, onde se consome em torno de 25 mil toneladas de ração por dia. Imagine que toda hora tem caminhão procurando desvio para chegar na propriedade. Já teve casos de eu ficar 30 horas sem alimentação, mesmo eu fazendo racionamento de ração”. A alimentação dos frangos foi entregue porque a Promotoria de Justiça concedeu uma liminar autorizando o caminhão a passar pelo bloqueio.

Ele não é contra a greve, mas não pode chegar a esse ponto, “Considero essa greve olhando pelo lado do caminhoneiro justa, não dá para trabalhar com o preço do combustível do jeito que tá. Só não concordo com a maneira que esta sendo feita. Fechando só o transporte de caminhão está afetando quem está produzindo alimentos, principalmente animais que é uma coisa que não pode parar”.

 

NOTA

As entidades representativas do setor agropecuário de Chopinzinho, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Sindicato Rural, Cooperativa de Leite da Agricultura Familiar – CLAF Chopinzinho, Associação de Mulheres Rurais – AMR, Associação de Avicultores, Cresol Chopinzinho e Câmara de vereadores reuniram na manhã desta sexta-feira, 27, na sede da EMATER Chopinzinho, e vem por meio desta declarar total apoio à luta dos caminhoneiros e dos professores e suas reivindicações, mas ao mesmo tempo vem alertar o Comércio e a sociedade em geral de que nossos agricultores estão passando por graves dificuldades, além dos prejuízos já acumulados e que se agravam a cada momento e isso trará serias consequências à sociedade em geral em termos financeiros pois os agricultores terão muitas dificuldades para honrar seus compromissos anteriormente assumidos em todo o comércio, além da sua própria dificuldade de subsistência familiar.

Atualmente constatamos perdas em três principais cadeias produtivas;

LEITE

• Perdas de aproximadamente 90 mil litros dia, nos últimos 5 dias;

• Problemas de falta de ração para os animais causando problema de sanidade animal;

• Leite que está sendo carregado em algumas vezes obrigando os agricultores a vender por até 0,30 R$ por litro;

• Contaminação do meio ambiente do por eliminação do produto em lugares indevidos, correndo riscos de ser multados por órgãos ambientais;

FRANGOS

• Alta mortalidade de pintainhos que chegam por desvios em caminhões;

• Falta de comida para as aves;

• Carregamentos suspensos;

• Mortalidade por sufoca mento por não haver mais espaço nos galpões;

• Não foram abatidos nesta semana aprox. 500 mil frangos;

• Problemas com o excesso de tamanhos das aves que não foram carregadas passando do peso padrão.

GRÃOS

• Estamos em período de colheitas onde os armazéns estão ficando lotados onde em poucos dias não receberão mais nossos produtos;

• Dificuldade em se conseguir combustível para continuar a colheita onde nossos grãos corem risco de perder a qualidade causando mais perdas;

Tendo em vista essas situação as entidades alertam os agricultores para que relatem as perdas, documentem registrem através de fotos e documentos , laudos para que eventualmente possam ser cobrados via judiciais as perdas e os prejuízos ocoridos com a greve.

Entendemos que nós que produzimos os alimentos que chegam a mesa da população pagar a conta . MOBILIZAR SIM, LESAR NÃO !