Menu Envie sua pauta
Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
27 de setembro de 2021
Rádios

Abril confirma previsões de queda em repasses para Palmas

Cotidiano

por Guilherme Zimermann

calculator-723925_1920
Publicidade

O mês de abril confirmou a previsão de queda em repasses de tributos estaduais para o município de Palmas. No ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) a redução foi de 21% em relação ao mês de março. Em comparação a abril de 2019, a queda foi de quase 30%.

Segundo dados da Secretaria da Fazenda do Paraná, em abril o repasse bruto do ICMS para Palmas foi de R$ 1.709.392,34. Com a dedução de 20% para o FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização aos Profissionais da Educação), o líquido ficou em R$ 1.367.513,89. No mês de março, o valor líquido foi de R$ 1,73 milhão. Em comparação a abril de 2019, a redução no repasse foi maior. Naquele mês, o repasse líquido foi de R$ 1,93 milhão.

O IPVA (Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor) também sofreu queda de repasses. No último mês de março, foram R$ 757,6 mil. Já em abril, ficou R$ 263,7 mil. Em abril de 2019, o repasse foi de R$ 324,4 mil.

Na avaliação do contador da prefeitura municipal, Ezequiel Goulart, a princípio, apenas esses dois impostos apresentaram redução significativa. “Lembrando que ambos são repasses feitos também para educação e saúde, o que se refletirá também nessas áreas”, apontou.

Publicidade
Publicidade

Com relação ao FPM (Fundo de Participação dos Municípios), outra importante fonte de recursos, ainda não houve um impacto, pois o município, diante do crescimento populacional, avançou uma faixa de repasse, o que acabou compensando eventuais perdas.

Sobre a possibilidade de repasses de, aproximadamente R$ 6 milhões, por meio do governo federal para auxiliar no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus e compensar perdas de arrecadação, Goulart avalia que, se o quadro de restrição de atividades econômicas se normalizar em um curto espaço de tempo, os recursos prometidos pelo governo irão conseguirão repor o que o município deixou de arrecadar. “Porém, se esse quadro persistir por um período mais longo, esses recursos não serão suficientes”, analisa. Ouça no player abaixo:

Publicidade