Saúde retoma mutirões de limpeza

por Angela Maria em 25 de Janeiro de 2019 8:40
por Angela Maria em 25 de Janeiro de 2019 8:40
Esta matéria utiliza fontes de: Assessoria

A partir da próxima semana a secretaria municipal de Saúde de Francisco  Beltrão vai retomar os mutirões de coleta de descarte nos bairros da cidade como forma de combater a proliferação do mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. O trabalho também envolve as secretarias municipais de Viação e Obras e de Meio Ambiente.

Na próxima terça-feira, dia 29 de janeiro, a coleta será nos bairros Aeroporto, Cantelmo e Virgínia. Dia 06 de fevereiro no Alvorada e Marrecas. Dia 12 será a vez dos bairros Cango e Guanabara. Dia 18 no Pinheirinho e Pinheirão. Dia 26 de fevereiro será na Água Branca. Outras regiões serão atendidas nos meses seguintes.

De acordo com Tania Lise, coordenadora de endemias no município, esse trabalho sempre é realizado neste período do ano devido ao aumento da incidência do mosquito. O levantamento mais recente apontou índice de 5.5, considerado de alto risco.

Os moradores devem fazer a limpeza no terreno e retirar todo material que possa acumular água. Equipes da prefeitura farão o recolhimento de latas, plásticos, garrafas, pneus, lonas, sucatas e outros materiais. Tania alerta que não haverá coleta de móveis, madeiras, restos de construção, galhos de árvores e eletroeletrônicos.

Fumacê

A secretaria também emitiu um esclarecimento a respeito da aplicação de fumacê, visto que muitas pessoas reivindicam esse procedimento. No Brasil o inseticida utilizado no fumacê é o Malathion, que tem fórmula diferente dos encontrados nos supermercados. É distribuído somente pelo Governo Federal.

Sua utilização é autorizada somente em situações extremas, pois pode causar danos à saúde se a exposição ao produto for longa ou corriqueira. Todos os inseticidas atacam o sistema nervoso. No combate ao aedes são colocadas doses capazes de matar o mosquito, mas o uso indiscriminado gera um problema. Seu objetivo é bloquear epidemias e jamais deve ser usado visando a prevenção.

O fumacê tem ação temporária e pontual. Não é considerado o método ideal para acabar com o aedes e outros mosquitos que carregam vírus perigosos. A secretaria reafirma que a melhor forma de evitar a proliferação destes mosquitos é eliminando os criadouros e possíveis focos, ações que dependem da participação da comunidade.

Compartilhar